Segunda-feira, Maio 27, 2024
Segunda-feira, Maio 27, 2024

SIGA-NOS:

“A economia azul é uma oportunidade para Portugal e o turismo azul representa 67% dessa economia”

O Turismo de Portugal associa-se à Conferência dos Oceanos das Nações Unidas, que decorre em Lisboa entre 27 de junho e 1 de julho, através da organização de dois eventos paralelos que pretendem mostrar ao mundo a estreita relação de Portugal com o mar e, simultaneamente, perspetivar o futuro centrado no oceano. “O mar marca a nossa cultura, história, património, economia e continua a significar inovação e futuro”, afirmou Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, que esteve presente no evento “The Waves for the future”, que decorreu esta quarta-feira.

Organizada com o apoio dos governos de Portugal e do Quénia e sob o mote Save Our Ocean, Protect Our Future, a conferência pretende ser uma chamada à ação pelos oceanos, um apelo aos líderes de todo o mundo e a todos os setores de relevo a agirem para reverter o declínio da saúde dos oceanos.

O Turismo de Portugal junta-se a esta iniciativa evidenciando a importância da preservação do Oceano como propósito-base para a construção do turismo do futuro, através da organização de dois eventos, que contarão também com a presença da Secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços.

Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, sublinhou a importância dos oceanos na história e economia do país: “Para Portugal, o mar sempre foi desafio e futuro. O mar marca a nossa cultura, história, património, economia e continua a significar inovação e futuro. A economia azul é hoje uma oportunidade para Portugal e para o mundo e o turismo azul, no nosso país, representa 67% dessa economia. A sustentabilidade está no centro da estratégia nacional para o turismo e a Conferência dos Oceanos é uma oportunidade para mobilizar todos, nacional e internacionalmente.

“É com este espírito que o Turismo de Portugal tem colaborado com a UNOC (United Nations Ocean Conference) em várias vertentes: produzindo o site da organização portuguesa da conferência, participando no evento da OMT sobre o papel do setor na edificação de uma economia azul circular e regenerativa, e organizando, juntamente com a MEO, EDP e WSL, dois eventos onde o surf se afirma na proteção do oceano, sendo que um deles permite mesmo que os congressistas tenham uma experiência de surf nas nossas ondas”, sublinhou.

Let’s Sea – The Waves for the future

Nesta sessão, o Turismo de Portugal, a World Surf League (WSL), o MEO e a EDP juntaram-se para destacarem o papel do surf na proteção dos oceanos e relembrar como todo o ecossistema que envolve empresas, atletas e instituições se deve mobilizar em torno deste desígnio. Um contributo para a discussão sobre a necessidade de inovação e tecnologia com o objetivo de impulsionar as indústrias para a transição sustentável (económica, ambiental e social).

O surf, desporto ligado ao Oceano, deve liderar a sua proteção, estabelecendo objetivos e criando âncoras de comunicação que permitam mobilizar comunidades e parceiros, contribuindo assim ativamente para as metas 14 e 17 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU.

Foram apresentados os projetos “Unwanted Shapes – Zero Impact, Full Performance”, uma iniciativa promovida pelo MEO, Turismo de Portugal e World Surf League que ambiciona que, até aos Jogos Olímpicos de 2028, toda a indústria do Surf esteja a utilizar pranchas feitas de material sem impacto ambiental. Neste evento foi ainda dado a conhecer o projeto “EDP Surf For Tomorrow”, que tem como objetivo investir na formação da nova geração de surfistas ibéricos e desenvolver o seu talento com um compromisso reforçado com a proteção dos Oceanos, criando uma geração de surfistas mais responsáveis e conscientes da necessidade de implementar uma abordagem regenerativa no ecossistema marinho.

“O EDP Surf for Tomorrow oferece uma oportunidade única para o desenvolvimento do talento destes cinco jovens atletas e permite-nos contribuir para a sensibilização por uma forma de vida mais sustentável. A EDP está empenhada em promover o surf como uma plataforma de proteção dos oceanos e da transformação urgente que precisamos de fazer na nossa sociedade, de forma a garantirmos um futuro equilibrado para as próximas gerações”, destaca Vera Pinto Pereira, administradora executiva da EDP.

Let’s Sea – Riding Portuguese Waves

O Turismo de Portugal, a EDP, o MEO e a WSL organizam este evento, no dia 30 de junho, entre as 08h00 e as 10h30, na Costa da Caparica, para proporcionar às comitivas internacionais presentes na conferência uma experiência única no mar português. Além de uma aula de surf, está prevista a divulgação de informação especifica sobre a proteção das linhas de costa e dos oceanos, apelando ao envolvimento de todos os responsáveis neste propósito maior.

Através destas ações, o Turismo de Portugal pretende abordar a óbvia necessidade de inovação das indústrias ligadas ao mar, incluindo o turismo. A sustentabilidade é um dos pilares do turismo do futuro, um propósito incontornável para a atividade turística a nível mundial. Criando um turismo mais sustentável, mais responsável e mais consciente, cria-se um melhor amanhã.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img