Sexta-feira, Agosto 12, 2022
Sexta-feira, Agosto 12, 2022

SIGA-NOS:

Abram caminho para os agentes de viagens novamente, diz o New York Times

Muitos agentes de viagens norte-americanos estão a registar um aumento de negócios sem precedentes. “A pandemia deu às agências de viagens uma nova relevância, em grande parte graças ao “pântano” de regras e restrições em constante mudança no qual os viajantes devem navegar”, escreveu o New York Times no artigo “Make Way for the Travel Agents. Again”, publicado na passada quarta-feira, dia 14 de abril.

Num extenso artigo, o jornal norte-americano explica como tem sido a evolução do negócio das agências de viagens nos últimos meses. “Tivemos dois dias em março em que batemos recordes no número de transações reservadas num único dia”, disse James Ferrara, presidente da InteleTravel, uma rede global de consultores de viagens com 60.000 membros, citado pelo jornal. “No geral o nosso negócio aumentou 35%, não a partir de 2020, que foi uma aberração, mas a partir de 2019, que foi o melhor ano que já tivemos.”

Quase 50% dessas consultas são de novos clientes, disse Ferrara.

Esta tendência é corroborada por uma pesquisa da ASTA – American Society of Travel Advisors, realizada no início de março, que indica que 76 por cento dos agentes de viagens regista um aumento no número de clientes em 2021, em comparação com antes da pandemia, e 80 por cento confirma a procura de viajantes que nunca trabalharam antes com um agente de viagens.

Mesmo antes da pandemia, os agentes de viagens “lutaram para permanecer relevantes com o aumento de sites de reservas diretas como Expedia e Booking.com, sem mencionar o Google e o Airbnb”, lê-se na reportagem. Os agentes “fecharam lojas físicas e passaram a ficar online, divulgando os seus conhecimentos e conexões, ao mesmo tempo que atraíam viajantes ocupados demais para planear as suas viagens”. De acordo com a ASTA, o negócio de agente de viagens (ou consultor de viagens) “teve um aumento entre 2016 e 2019, por causa dos millennials: esta faixa etária estava ansiosa para terceirizar o planeamento e beneficiar de tratamento VIP” .

Wendy Burk, fundadora e executiva-chefe da Cadence, uma agência de viagens da Califórnia reportou ao artigo do New York Times que 20% de seus negócios em 2021 são provenientes de clientes que recorreram pela primeira vez à sua agência.

“Muita gente teve problemas na primavera passada. Não tinham ninguém que ligasse para a companhia aérea de modo a obter reembolsos ”, disse Burk. “Agora, o nível de complexidade necessário para fazer uma viagem básica aumentou drasticamente. A enorme variedade de informações a serem rastreadas, incluindo requisitos de vacinas e fronteiras fechadas, sem mencionar a rapidez com que tudo pode mudar, é um desafio”.

Embora a perspectiva para 2021 seja mais promissora, os agentes de viagens ainda “estão a recuperar da devastação de 2020”. De acordo com a ASTA, uma agência de média dimensão nos EUA perdeu 82% do seu negócio no ano passado e 60% da equipa.

“Quando as pessoas não estão a viajar, os agentes não ganham muito dinheiro, se é que ganham”.

Os agentes de viagens esperam que 2020 tenha enfatizado a relevância contínua dos seus serviços.

“Quando entrei neste negócio há 30 anos, lembro-me de ter visto uma pesquisa de confiança e credibilidade que colocava os agentes de viagens ao mesmo nível de um vendedor de carros usados”, disse Ferrara. “Acho que a adversidade do ano passado concentrou os viajantes no valor do aconselhamento profissional.”

O aumento do interesse também abriu a possibilidade de novas formas de interação no planeamento de viagens. A empresa Authenteco, lançada em maio do ano passado, tem suporte para mensagens de texto 24 horas e uma interface online que permite aos usuários inserir o seu estilo de viagem, interesses e detalhes de viagem desejados; A Authenteco observou um aumento de 667 por cento nas solicitações de viagens desde janeiro. Outra empresa, a another.io , abriu este mês e combina viajantes com especialistas locais para criar itinerários centrados em experiências fora do comum.

Portugal

Na semana passada, durante a apresentação da programação do operador turístico Solférias, Nuno Mateus, diretor geral, frisou a importância de medidas como os vales de reembolso para aumentar a credibilidade das agências e dos operadores. “Há sondagens que indicam que, mesmo os turistas mais jovens, olham para as agências de viagens de uma forma completamente diferente. Há que não esquecer todo o trabalho árduo e profissional que foi efetuado pelas agências de viagens e pelos operadores nos repatriamentos”. 

avatar

2 COMENTÁRIOS

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img