Quinta-feira, Maio 23, 2024
Quinta-feira, Maio 23, 2024

SIGA-NOS:

AHRESP quer novos apoios à hotelaria e restauração para enfrentar “pós-verão desafiante”

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) alertou esta quarta-feira, dia 27, que o fim da época alta “trará fortes desafios” às empresas do setor e apelou para a inclusão do turismo nas novas medidas de apoio anunciadas pelo Governo.

Em comunicado, a AHRESP alerta para um “período pós-verão desafiante”, sustentando que “o fim da época alta trará fortes desafios às empresas do alojamento e restauração, que vão ser as primeiras a sofrer com a perda do poder de compra dos consumidores”.

Neste sentido, “apela à inclusão das empresas do turismo nas medidas de apoio anunciadas pelo Governo”.

“Foi com satisfação que a AHRESP recebeu a notícia de que em setembro haverá novas medidas de apoio para as empresas e famílias, de acordo com o transmitido pelo primeiro-ministro na semana passada. Apesar de os números do turismo estarem em trajetória ascendente, há que interpretá-los à luz do pico de consumo vivido atualmente”, sustenta.

Neste sentido, a associação diz esperar “que as medidas de apoio a serem lançadas em setembro atendam aos enormes desafios” que antevê para os setores da hotelaria e restauração, que “ainda não recuperaram da pandemia, nem se espera que tal venha a suceder ainda em 2022”.

Segundo salienta, “a crise originada pela pandemia não só esgotou as reservas financeiras das empresas, como também as forçou a endividar-se para sobreviver”.

“Neste momento, as empresas já se encontram a pagar os créditos aos quais tiveram de recorrer em 2020 e 2021, sendo esse encargo financeiro muito difícil de suportar para os negócios que ainda não alcançaram os níveis de 2019 e que enfrentam agora a redução das margens de lucro, como resultado do aumento dos custos de operação”, conclui.

O primeiro-ministro anunciou no passado dia 20, no parlamento, que em setembro o Governo vai adotar um novo pacote de medidas para apoiar o rendimento das famílias e a atividade das empresas face aos efeitos da inflação.

Esta linha de ação do executivo foi transmitida por António Costa no seu discurso que abriu o debate sobre o estado da nação na Assembleia da República.

“É hoje claro que, com o prolongar da guerra, o efeito da inflação será mais duradouro do que o inicialmente previsto. Por isso, no final deste trimestre, em setembro, iremos adotar um novo pacote de medidas para apoiar o rendimento das famílias e a atividade das empresas”, declarou o líder do executivo.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img