Quinta-feira, Fevereiro 22, 2024
Quinta-feira, Fevereiro 22, 2024

SIGA-NOS:

As 7 principais tendências de viagens de negócios em 2024, segundo a Amadeus

Antevê-se uma recuperação total nas despesas de viagens de negócios este ano, com o mercado a regressar aos níveis registados pela última vez em 2019. Nos últimos cinco anos, observaram-se mudanças significativas. Atualmente, os viajantes de negócios tornaram-se mais exigentes, procurando extrair o máximo valor de cada viagem. O novo relatório “Tendências em Viagens de Negócios 2024”, produzido pela Globetrender e Cytric Easy by Amadeus, explora estas transformações.

Os assistentes pessoais de Inteligência Artificial estão a revolucionar as viagens auto-reservadas

O surgimento da Inteligência Artificial Generativa (Gen-AI) catalisou as “AI PAs” (Assistentes Pessoais de Inteligência Artificial). Estas soluções inteligentes, disponíveis 24/7, ajudam em tudo, desde aconselhamento sobre opções de itinerário até à utilização de linguagem natural que orienta o viajante sobre a política de viagens da sua empresa. Podem responder a um resumo detalhado da viagem, tornando fácil continuar o diálogo com perguntas complementares.

As viagens de estudo para executivos ganham destaque

As escapadelas estratégicas estão em ascensão para o ano de 2024. Se anteriormente o agendamento de dias de formação de equipas era comum para reunir colaboradores, agora observa-se uma mudança em direção a viagens mais longas, muitas vezes em ambientes naturais. Esta transição está a dar origem a uma tendência crescente nas viagens corporativas, que estão a ser elevadas a um patamar superior com a introdução de experiências imersivas, surpreendentes e, por vezes, até mesmo extremas, tanto em território nacional como no estrangeiro.

A criação de camaradagem é vista como essencial para fortalecer relações positivas entre os funcionários, aumentar a lealdade à empresa e motivar as pessoas a trabalharem em prol de objetivos comuns. Para alcançar este objetivo, segundo o relatório, “é necessário retirar as pessoas da sua zona de conforto, obrigando-as a deixar o ego à porta”. Atividades que vão desde o rafting até ao bushcraft tropical estão a ser adicionadas à agenda destas viagens aprimoradas.

“Empilhamento de objetivos” para multiplicar o valor das viagens de negócios para a empresa e para o colaborador

Com o aumento da pressão para aderir aos mandatos de sustentabilidade da empresa e gerir despesas face ao aumento dos preços, os funcionários terão de justificar de forma mais convincente as viagens de trabalho. Nos próximos anos, o “Objective Stacking” (empilhamento de objetivos) – termo cunhado pela Globetrender para descrever viagens planeadas para alcançar diversos objetivos – tornar-se-á a norma para maximizar a eficiência e o valor. Em vez de viajar apenas para reuniões, apresentações de vendas ou eventos, os viajantes de negócios terão de reservar tempo para se encontrarem com clientes, realizar reconhecimentos, concretizar negócios, explorar oportunidades de expansão, analisar a concorrência ou até mesmo desfrutar de um período de férias.

Itinerários combinados assumem um papel central à medida que políticas de viagem rígidas são abandonadas

Uma nova mentalidade empresarial e sistemas automatizados estão a permitir Itinerários Combinados para viajantes de negócios, indo além das simples viagens de “bleisure”, onde se acrescenta um fim de semana a alguns dias de reuniões. Contudo, o ponto central do que está a surgir em 2024 é a flexibilização e personalização das outrora rígidas políticas de viagens empresariais, colocando agora a experiência do funcionário no centro.

Net Zero: Empresas tornam-se mais astutas para atingir objetivos de redução de carbono até 2050

Após a conclusão, em dezembro de 2023, da cimeira global sobre o clima COP28, com um acordo para “abandonar” o consumo de combustíveis fósseis e aumentar a produção de energia limpa, as ambições de sustentabilidade estão a ser levadas a sério no âmbito das viagens corporativas. Um inquérito encomendado pela Amadeus, que envolveu 896 decisores seniores, revelou que 90% das empresas de viagens tinham implementado ou planeavam implementar, até 2024, uma estratégia para atingir os objetivos de sustentabilidade ambiental.

À medida que a pressão para justificar o impacto ambiental das viagens de negócios aumenta, as empresas adotarão cada vez mais o Objective Stacking para garantir que os funcionários maximizem o valor das viagens. Segundo a Amadeus, “os Itinerários Combinados facilitarão isso, graças a políticas de viagem mais flexíveis”.

Despesas digitalizadas: A reconciliação automática está cada vez mais próxima

O mundo das finanças empresariais está a evoluir com a transição para despesas digitais e cartões virtuais para gastos em viagens. Esta mudança marca o fim de uma era dominada pela incómoda gestão manual de formulários de despesas e pelo constante malabarismo com recibos em papel. Para muitas empresas, esta transição representa não apenas uma atualização processual, mas uma revisão fundamental de como as transações comerciais são registadas, processadas e analisadas. Segundo o relatório, as despesas digitalizadas aumentarão a personalização e aprimorarão a experiência do utilizador, garantindo simultaneamente a segurança dos dados e a conformidade com a política de viagens.

Power Networking: A indústria global de eventos está a começar a perceber o aumento do desejo de conexão

Em 2024, o Power Networking surgirá como uma nova abordagem hiperfocada para adquirir e criar novas ligações. Os dias em que os delegados saíam mais cedo das conferências ou se escondiam nos quartos de hotel para evitar conversas informais estão ultrapassados. Em 2024 e nos anos seguintes, a Amadeus defende que “todas as oportunidades terão de ser maximizadas. Afinal, se os funcionários estão a tirar tempo das suas secretárias e famílias, é crucial garantir que vale a pena”. Isso significa criar itinerários mais ricos com várias reuniões fora da agenda principal.

“Ao analisarmos o futuro das viagens de negócios em 2024, torna-se evidente que estão a ocorrer duas grandes mudanças em paralelo: a tecnologia está a simplificar cada vez mais o planeamento e a execução das viagens, mas há também um desejo de “voltar ao básico”, manifestado em retiros empresariais na natureza e no renascimento dos “almoços poderosos”. Isso destaca o valor duradouro da ligação humana na construção de boas relações comerciais. Em última análise, todas as viagens precisam ser otimizadas para justificar o retorno do investimento e o impacto subsequente das emissões de carbono das viagens aéreas”, afirma Jenny Southan, CEO e fundadora da Globetrender.

Deborah Mahoney, Directora de Vendas e Desenvolvimento de Negócios – Américas Amadeus Cytric Solutions, disse: “As reuniões presenciais têm muitos benefícios, desde o aumento do capital social até a promoção de ideias e o envolvimento em pensamentos mais complexos em conjunto. O contato pessoal oferece uma vantagem competitiva quando se trata de encontrar clientes e consumidores, pois conversas reais podem gerar interações mais eficazes, eficientes e que criam confiança.”

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img