Terça-feira, Outubro 4, 2022
Terça-feira, Outubro 4, 2022

SIGA-NOS:

Blue Air retoma operações a 10 de outubro, mas análise da SkyExpert defende que esta retoma é “pouco credível”

A Blue Air, maior companhia aérea da Roménia parada desde 6 de setembro, vai reiniciar as suas operações a 10 de outubro. Pedro Castro, diretor da SkyExpert, empresa de consultoria especializada em transporte aéreo, aeroportos e turismo, explica os contornos de uma história que, defende, “não é inédita”.

“A Associação Nacional de Proteção do Consumidor Romena (ANPC) multou a Blue Air em dois milhões de euros pelo facto da companhia ter feito promoções para voos que sabia não ter condições para realizar entre 30 de abril de 2021 e 30 de abril de 2022 com o único intuito de ganhar liquidez. Durante este período, e em plena crise pandémica, a ANPC identificou 11 289 voos cancelados. A 14 de Julho ordenou o pagamento de dois milhões de euros de multa e o reembolso de 13 milhões de euros aos passageiros no prazo de 10 dias. Apesar de ter incumprido com o prazo de pagamento, a Blue Air continuou a voar até que as suas contas foram bloqueadas por ordem judicial a 6 de setembro sob condição do cumprimento da decisão da ANPC. Seguiram-se dias de caos para todos os passageiros com voos na companhia de/para Roménia neste regresso de férias”, explica Pedro Castro. “Os bilhetes deixaram de ter qualquer valor e tiveram de comprar novas passagens numa altura em que ou não havia lugares disponíveis, ou em que os preços para voos de última hora eram caros”, acrescenta do diretor da SkyExpert. A pausa nas operações da Blue Air, inicialmente prevista até 12 de Setembro, foi prolongada até 10 de Outubro. “Com isto a Blue Air perdeu as receitas de um dos períodos de maior afluência com uma tarifa média alta mas continuou a ter de pagar os leasings, salários, estacionamento, manutenção, multas, reembolsos, etc”.

“A aplicação do regulamento EC261/2004 já acelerou a falência de companhias no passado, como a Air Berlin em 2017. A “pausa” de operações da turca Atlas Global não impediu o seu desaparecimento definitivo em fevereiro de 2020”, relembra Pedro Casto. O responsável da SkyExpert acredita que a Blue Air seguirá o mesmo rumo: “Várias companhias, em particular a WizzAir, aumentaram a sua presença no país. A guerra, inflação, o Inverno e a concorrência num mercado dominado pelas tarifas de baixo custo torna a retoma da Blue Air pouco credível”. Para Pedro Castro, e para evitar cenários semelhantes, a Comissão Europeia terá de ser “mais flexível com a consolidação da indústria aérea e terá de ser mais justa na aplicação do regulamento EC261/2004: o mesmo atraso num percurso europeu em comboio ou autocarro não está sujeito às mesmas regras indemnizatórias do transporte aéreo…porquê esta discriminação?”, questiona. Aos passageiros que agora comprarem os bilhetes TAP em promoção para 2023, Pedro Castro aconselha prudência: “a programação da companhia para 2023 não é definitiva, pode sofrer alterações e a companhia está claramente à procura de liquidez para enfrentar o inverno”, conclui.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img