Sexta-feira, Agosto 12, 2022
Sexta-feira, Agosto 12, 2022

SIGA-NOS:

Boris Johnson adverte britânicos: “Não devem viajar para países da lista amarela”

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, afirmou esta terça-feira, dia 18, que os britânicos “não devem viajar para os países incluídos na lista amarela” no sistema semáforo de restrições de viagem aplicadas no país.

“As pessoas têm que entender que a categoria de risco médio (amarelo) não significa que esses países sejam destinos de férias ” , insistiu o primeiro-ministro do Reino Unido. Johnson foi forçado a fazer essas declarações em face do aumento das reservas de viagens de cidadãos britânicos. Conforme relatado pelo The Times , os agentes de viagens receberam três vezes mais consultas para férias em países da lista âmbar.

Da mesma forma, Boris Johnson lembrou que se você viajar para esses países, é por um número limitado de motivos , como uma viagem urgente em família ou por motivos de negócios. Mesmo assim, “se você tiver que ir a um país da lista âmbar, deve levar em conta que deve se isolar no seu retorno por 10 dias ” , advertiu o primeiro-ministro.

Além disso, Johnson aludiu que viajar para esses países de “risco médio” implica ter que pagar por testes de diagnóstico – um antes do retorno e dois durante os dias 2 e 8 de quarentena – bem como preencher o formulário de localização do passageiro e respeitar o isolamento . “E se violar as regras, terá de enfrentar multas de 10.000 libras (mais de 11.500 euros)”, condenou o primeiro-ministro.

Setor pede “uma mensagem clara”

Depois do primeiro-ministro britânico ter proferido esta mensagem, o sindicato de pilotos Balpa já pediu o fim imediato das mensagens mistas “prejudiciais” do governo sobre viagens internacionais, enquanto o chefe executivo do Travel Network Group, Gary Lewis, disse que a confusão pode dificultar a recuperação incipiente do setor de viagens, escreve o TTG media.

O responsável do The Travel Network Group, afirma que “a indústria de viagens e os turistas precisam urgentemente de clareza sobre como as pessoas devem interpretar o sistema de semáforos”.

“Desde que a proibição de viagens internacionais foi levantada na segunda-feira, cinco parlamentares ou ministros diferentes fizeram comentários dando diferentes relatos sobre como a orientação deve ser interpretada e em que situações as viagens de lazer são aceitáveis”.

“Essa falta de clareza e mensagens contraditórias estão a prejudicar ainda mais a confiança do consumidor em viagens e a impedir a recuperação do setor de turismo emissor.

“Apoiamos a abordagem cautelosa do governo para reabrir as viagens, mas precisamos de uma mensagem clara sobre como o sistema de semáforos deve ser aplicado às viagens de lazer e em que circunstâncias as viagens para cada categoria são consideradas aceitáveis.”

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img