Quarta-feira, Novembro 30, 2022
Quarta-feira, Novembro 30, 2022

SIGA-NOS:

Chegadas do turismo mundial vão aumentar 30% em 2023, mas permanecerão abaixo de 2019

As chegadas do turismo mundial vão aumentar 30% em 2023, após um crescimento de 60% em 2022, mas permanecerão abaixo dos níveis pré-pandémicos, revelou o relatório “Tourism in 2023”, da Economist Intelligence Unit (EIU). Este relatório avalia as perspetivas de crescimento, os principais riscos e as principais tendências que o setor enfrentará no próximo ano. De acordo com os dados, a desaceleração económica, as sanções contra a Rússia e a política “zero-covid” da China são fatores que vão desacelerar a recuperação do setor do turismo no próximo ano.

“A indústria do turismo registou uma forte recuperação em 2022, e esperamos que esta continue em 2023, particularmente se a China começar a levantar a sua política de “zero-covid”, como se esperava. Mas a indústria certamente não ficará imune ao abrandamento económico. Os custos de staff, combustível, eletricidade e alimentação subiram acentuadamente, e as empresas terão de transferir esses custos para os consumidores que já estão a sofrer com o aumento acentuado dos custos de vida”, afirmou Ana Nicholls, diretora de análise da indústria da EIU.

“Como resultado destes fatores, a EIU recuou com a sua previsão, que antecipava uma recuperação total nas chegadas internacionais. Agora, não esperamos que regressem aos níveis de 2019 até 2024, embora o Médio Oriente seja uma região que estará à frente na recuperação”, acrescentou Nicholls.

As principais tendências a observar, em 2023, incluem um aumento de 30% nas chegadas do turismo mundial, após um crescimento de 60% em 2022, mas ainda abaixo dos níveis pré-pandémicos. A recessão económica, as sanções contra a Rússia e, acima de tudo, a estratégia de “zero-covid” da China são os principais fatores que vão atrasar a recuperação do turismo.

Segundo o relatório, os hotéis, restaurantes e aeroportos terão dificuldades em fazer face à escassez de mão-de-obra, às exigências salariais e aos elevados preços dos alimentos e da energia. Mesmo assim, espera-se que as companhias aéreas internacionais regressem à rentabilidade, beneficiando de uma procura reprimida contínua.

Por último, o impacto das alterações climáticas na indústria tornar-se-á mais evidente, com temperaturas elevadas, escassez de água e inundações a forçar os destinos turísticos a tomar medidas.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img