Quarta-feira, Agosto 10, 2022
Quarta-feira, Agosto 10, 2022

SIGA-NOS:

De que forma o aumento das temperaturas está a mudar o turismo na Europa?

Com o aumento das temperaturas, as mudanças nos padrões das viagens podem tornar-se mais comuns na Europa. Segundo o New York Times, existe um número crescente de viajantes que estão a ajustar os seus planos devido à subida das temperaturas, quer trocando os seus destinos, reelaborando os seus horários diurnos, ou atrasando as suas férias.

Dado o ritmo e a trajetória das alterações climáticas, é provável que tais mudanças se tornem mais comuns – e mais necessárias – nos próximos anos, de acordo com investigadores climáticos. Estas mudanças são mais suscetíveis de acontecer na Europa, um continente que os investigadores climáticos descreveram como um “hot spot” para o forte calor do verão, e onde preveem que as futuras ondas de calor sejam mais longas, frequentes e intensas.

Durante o mês de julho assistimos a diversos acontecimentos, em toda a Europa, relacionados com o aumento das temperaturas: o calor derreteu parte da pista do aeroporto de Luton, em Londres; comboios foram atrasados ou cancelados em todo o Reino Unido devido a pistas sobreaquecidas; mais de duas dúzias de estações meteorológicas em França registaram as temperaturas mais elevadas de sempre este verão; e os incêndios florestais não afetaram apenas Portugal, mas também França, Espanha, Itália e Grécia.

Mesmo com o elevado número de turistas a viajar este verão, já existem sinais subtis de que o calor está a provocar mudanças que poderão tornar-se norma no futuro, de acordo com o NYT. O calendário de viagens de verão da Europa começou a estender-se para os meses mais calmos e mais frescos de abril, maio, setembro e outubro, enquanto muitos viajantes começam a deslocar os seus itinerários para norte e em direção às costas.

Mudança de itinerários

Karen Magee, vice-presidente sénior e gerente da In the Know Experiences, disse que, a partir de meados de julho, a sua agência de viagens começou a receber chamadas de clientes a perguntar se podiam ajustar os seus planos de viagem para responder ao aumento do calor.

“Isto é algo novo”, disse Karen Magee. “Não me lembro da última vez que tivemos pessoas a telefonar e a dizer: Talvez vamos saltar Roma e optar por uma cidade mais próxima da praia”.

Dolev Azaria, fundadora da Azaria Travel, ajudou uma família a fazer a escolha de última hora de passar os primeiros cinco dias das suas férias em Amesterdão em vez de Roma, apenas para evitar o calor. Outros clientes desfizeram-se dos seus planos para a Toscana e voltaram a reservar para a Sicília, destino onde, pelo menos, teriam uma brisa mediterrânica. “O objetivo é transferir os clientes das cidades mais afetadas pelo calor para zonas ribeirinhas”, explicou.

Ajustar os planos de viagem

Aqueles que estão empenhados em viajar podem tomar uma série de medidas práticas para ajudar a gerir o calor. Jude Vargas, conselheira de viagens e fundadora dos Pyxis Guides tem ajudado os seus clientes a mudar as suas excursões da tarde para as horas mais frescas da noite. Vargas também recomenda viajar com um dispositivo portátil – um frasco de água anexado a uma ventoinha, que dispersa água; ou com um guarda-chuva para utilizar como guarda-sol. A consultora de viagens afirmou que, olhando para o ano que vem, vai concentrar-se em vender viagens em maio e outubro.

O calor intenso deste verão “não é um acaso”, mas sim “o início de uma tendência que vai piorar”, afirmou a Dra. Rebecca Carter, que lidera o trabalho de adaptação climática no World Resources Institute, um grupo de reflexão sediado em Washington D.C. A Dra. Carter acrescentou que as alterações climáticas continuarão a manifestar-se sob a forma de ondas de calor e outros eventos climáticos extremos, muitos dos quais irão perturbar a logística das viagens.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img