Domingo, Junho 23, 2024
Domingo, Junho 23, 2024

SIGA-NOS:

Empresa da balonismo Windpassenger prevê superar marca de 50 mil passageiros transportados em 2023

A Windpassenger, empresa no setor de balonismo em Portugal e com sede no Ribatejo, tem a expectativa de atingir a marca de 50 mil passageiros transportados ao longo de toda a sua atividade durante o ano de 2023. Com uma experiência de mais de 30 anos no cenário nacional e internacional do balonismo, a empresa ultrapassou a cifra de 4 mil passageiros transportados em 2022, almejando superar esse número no corrente ano.

No ano anterior, a Windpassenger liderou a realização de mais de 53% de todos os voos de balão de ar quente em Portugal, proporcionando experiências a cerca de quatro mil pessoas. Agora, para 2023, a empresa procura ultrapassar esse desempenho, visando alcançar a marca de 50 mil passageiros transportados ao longo de toda a sua trajetória. Com uma frota composta por nove balões de ar quente, a Windpassenger possui a capacidade de transportar até 93 passageiros simultaneamente.

Graças sobretudo à fileira turística, o balonismo “possui um elevado potencial de crescimento no país, especialmente a norte do território”, indica Guido Van der Velden dos Santos, gestor operacional, instrutor e examinador da Windpassenger. “Calcula-se que o setor em Portugal possa gerar, a médio e longo prazos, bem mais do que os vinte milhões de euros da atualidade em volume de negócios”, prevê a empresa em comunicado.

“As viagens de balão de ar quente acontecem durante todo o ano, contudo, tendem a concentrar-se naquela que é a época alta da atividade, ditada pelas melhores condições climatéricas para a prática do balonismo: de março a outubro”, explica a empresa.

A Windpassenger está habilitada a realizar viagens de balão em todo o país, mas tem os seus principais pontos de descolagem no Ribatejo (em Coruche, onde se localiza a sede da empresa), no Alentejo (Monsaraz – onde está a criar uma nova base de operação para desenvolver uma combinação entre balonismo e agricultura – Évora e Montemor-o-Novo), no Norte (Mirandela e Lagos do Sabor), no Centro (Castelo Branco e Idanha–a-Nova), no Vale do Tejo (Santarém), em Setúbal (Alcácer do Sal e Grândola) e no Algarve (Lagos e Portimão).

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img