Segunda-feira, Agosto 8, 2022
Segunda-feira, Agosto 8, 2022

SIGA-NOS:

#FOODPORN

Nos últimos anos, as tendências alimentares nos restaurantes e afins têm-se multiplicado tão rapidamente que de um momento para outro ouvimos falar em hambúrgueres de insetos, alimentos produzidos em impressoras 3D, comida de rua mais conhecida por street food, enfim, uma panóplia de nomes, termos e conceitos “diferentes” e “estranhos”.

Não tenhamos dúvidas: O “Snacking” é a grande tendência do futuro da culinária (come-se rápido mas não é fast food) e cada vez mais damos ênfase aos petiscos de alta qualidade que as pessoas podem desfrutar a qualquer hora do dia.

A comida de rua encontrada apenas nos mercados ao redor do mundo, está agora a surgir em restaurantes de topo, sejam eles clássicos de comida de rua asiáticos reinventados como criações gourmet ou por exemplo, iguarias exóticas preenchidas com temperos ainda mais exóticos.

Todas estas “comidas” vindas diretamente das ruas estão a receber uma reforma culinária sem precedentes e a tendência está repleta de potencial para aumentar os lucros e ajudar os restaurantes a criar seu próprio nicho dentro de um mercado competitivo porque, no final de contas, oferece aos clientes um grande e vasto mundo num pequeno e aconchegante prato.

Estamos a assistir a uma verdadeira revolução!

Outra tendência que está a revolucionar ainda mais a indústria é a digitalização. Não há como evitar o facto de que o digital está preenchendo o mercado de ponta a ponta. Os clientes cada vez mais querem ter a certeza de que poderão reservar mesas através de um smartphone e pagar com um determinado aplicativo.

O on-line permite tudo o que os comensais desejam e exigem: boa comida, a qualquer hora e em qualquer lugar. Esta tendência na restauração está a se tornar cada vez mais importante, especialmente num mercado “paralelo” e em expansão que é o da entrega de refeições (inclusive muitos já permitem ao cliente aceder a um rastreamento ao vivo que acompanha o seu jantar desde a entrada no fogão até à sua sala de estar).

Falando ainda de digitalização, o mundo do marketing on-line nos nossos dias não é apenas algo que se recomende, mas sim um requisito para competir.

As redes sociais são um must e inclusive existem rankings para os restaurantes mais populares no Instagram. Estamos a falar de iguarias e pratos perfeitamente organizados, elaborados e criados com vista ao cliente fotografar e divulgar. As cores certas, nas medidas certas, na loiça certa para que fique o mais bem enquadrado possível na fotografia.

Também o design interior dos restaurantes/espaços tem um papel fundamental. Cenários industriais, minimalistas, com mais ou menos cores, elegantes e cheios de glamour cujo objetivo é criar ambientes fotogénicos. Cada aspeto da experiência gastronómica é projetado com o máximo de fotografias inspiradoras para criar desejo e outros sentimentos nas nossas mentes. Uma verdadeira “pornografia” cujo hashtag #foodporn já se tornou também numa tendência.

Por Ricardo Augusto

É hotel manager do Savoy Calheta Beach na Madeira, Founder & CEO da REDE-T, rede de profissionais na área de turismo, hotelaria e restauração.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img