Quarta-feira, Julho 17, 2024
Quarta-feira, Julho 17, 2024

SIGA-NOS:

França proíbe chegadas do Reino Unido a partir de sábado

-PUB-spot_img


As autoridades francesas confirmaram que todas as viagens não essenciais do Reino Unido serão proibidas a partir das 00:00 do próximo sábado, dia 18 de dezembro.

A mudança ocorre num momento em que o Reino Unido regista casos recorde de Covid-19 e uma rápida disseminação da variante Ómicron.

“As pessoas não podem viajar por motivos turísticos ou profissionais”, disse um comunicado do gabinete do primeiro-ministro francês, Jean Castex.

“Diante da disseminação extremamente rápida da variante Ómicron no Reino Unido, o governo decidiu restabelecer a necessidade de um motivo essencial para viagens de e para o Reino Unido.”

Cidadãos franceses e cidadãos da União Europeia ainda podem regressar à França do Reino Unido, acrescentou o comunicado. No entanto, terão de apresentar um teste negativo com menos de 24 horas e fazer uma quarentena.

A Grã-Bretanha registou um recorde de 78.610 casos de Covid-19 confirmados em laboratório na quarta-feira, dia 15 de dezembro, com os cientistas a preverem taxas ainda mais altas, já que acredita-se que o Ómicron se espalhe muito mais rápido do que a variante Delta atualmente dominante.

O presidente-executivo da Associação Britânica das Agências de Viagens (ABTA), Mark Tanzer, já reagiu à medida: “Os relatos de que França vai introduzir uma proibição temporária na maioria das viagens do Reino Unido serão um golpe duro para a indústria de viagens de inverno, que já está sob extrema pressão devido às novas restrições da Ómicron. As viagens relacionadas aos desportos de inverno e viagens escolares estão particularmente expostos, e o governo agora deve apresentar um pacote de apoio se não quisermos ver falências de empresas e perdas de empregos. O setor de viagens e turismo teve poucas chances de gerar receita desde o início de 2020 e agora enfrenta outra onda de cancelamentos.”

WTTC: “É uma reação ineficaz”

O World Travel & Tourism Council, através da presidente e CEO Julia Simpson, reagiu à medida do governo francês, dizendo que se trata de “uma reação ineficaz e instintiva do governo francês”. “Proibir viagens para França não impedirá as variantes do COVID que já estão em França. Como disseram os cientistas sul-africanos, essas decisões são baseadas na histeria, não na lógica. Esta decisão destruirá as reuniões de família planeadas há muito tempo e tem implicações de longo prazo para o setor de Viagens e Turismo que estava apenas a começar a recuperar. Os governos deveriam concentrar-se nos indivíduos, permitindo que as pessoas totalmente vacinadas viajassem livremente. Provou-se que proibir países inteiros não funciona”.

Para o WTTC, “a medida drástica não fará nada para impedir a disseminação do vírus, mas será um grande golpe para o setor de viagens e turismo – que é a última coisa que o setor precisa no momento. Devemos concentrar-nos em interromper a transmissão na comunidade, obrigando ao uso de máscaras e implementando medidas aprimoradas de saúde e segurança”.

-PUB-spot_img

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img