Quinta-feira, Fevereiro 22, 2024
Quinta-feira, Fevereiro 22, 2024

SIGA-NOS:

Hotelaria de luxo alcança €213 mil milhões em 2023, impulsionada pelo mercado asiático e europeu

O mercado global de luxo atingiu a marca de 1,5 biliões de euros em 2023, representando um crescimento entre 8% e 10% em relação a 2022, segundo dados da 22ª edição do Luxury Study, conduzido pela Bain & Company em colaboração com a Fondazione Altagamma. O segmento da hotelaria de luxo alcançou 213 mil milhões de euros no ano passado, sendo os turistas asiáticos e europeus apontados como os principais impulsionadores deste crescimento.

A indústria de luxo monitorizada pela Bain & Company engloba nove segmentos, destacando-se automóveis de luxo, hotelaria de luxo e bens de luxo pessoais, que conjuntamente representam mais de 80% do mercado total.

As compras de turistas de luxo globalmente aproximaram-se dos níveis pré-pandemia em termos absolutos, com perspetivas de crescimento futuro, especialmente para recuperar a quota de mercado anterior à covid-19. O estudo destaca as regiões da Ásia e Europa como as principais impulsionadoras desse crescimento.

Segundo o estudo, a Ásia liderou o crescimento, impulsionada pela “procura interna robusta e pelo influxo de turistas chineses em toda a região”. O Japão registou uma expansão significativa “devido aos clientes locais e a um iene desvalorizado que favoreceu os fluxos turísticos”. A China continental apresentou um desempenho sólido após a reabertura do primeiro trimestre, mas enfrentou desafios à medida que surgiram preocupações macroeconómicas. Os países do Sudeste Asiático registaram uma dinâmica positiva devido ao forte turismo intra-regional e ao crescente interesse dos consumidores locais, especialmente na Tailândia. Em contrapartida, a Coreia do Sul enfrentou um ano difícil, com factores macroeconómicos desfavoráveis que abrandaram o consumo local, uma moeda forte que levou os turistas a comprar noutros locais e saídas de turistas coreanos para destinos internacionais.

A Europa continuou a beneficiar da progressiva retoma do turismo, o que estimulou o crescimento em todos os países. “Apesar de a instabilidade macroeconómica ter tido impacto nos clientes locais, os principais clientes mantiveram uma dinâmica positiva que alimentou o crescimento do mercado”, indica o estudo.

Entretanto, a região das Américas desacelerou ao longo do ano, registando uma queda de 8% em relação a 2022, uma vez que a incerteza generalizada afetou os gastos dos clientes aspiracionais. Os clientes de topo permaneceram confiantes, mas transferiram as suas despesas para o estrangeiro, uma vez que o dólar americano permaneceu forte em relação ao euro e os diferenciais de preços favoreceram as compras no estrangeiro.

No resto do mundo, a Arábia Saudita acelerou, atraindo investimentos de grandes marcas de luxo, e a Austrália proporcionou um terreno fértil para o crescimento.

Hotelaria de luxo atingiu 213 mil milhões de euros em 2023

O mercado da hotelaria de luxo aumentou para um valor estimado de 213 mil milhões de euros, finalmente ultrapassando os níveis pré-covid-19. Segundo o estudo, este crescimento foi impulsionado pelo aumento da ocupação e pela estabilização da taxa média diária.

Os Estados Unidos e a América Latina experimentaram um impulso positivo impulsionado pelo turismo intrarregional, enquanto a China permaneceu abaixo dos níveis pré-pandemia apesar da abertura de fronteiras. “As expectativas dos consumidores estão a aumentar à medida que as tarifas dos quartos se estabilizam a níveis mais elevados do que no passado, refletindo um aumento do apetite por experiências únicas e personalizadas”, sustenta o estudo.

Nas vendas de iates e jatos privados, observou-se um crescimento de 11% às taxas de câmbio atuais, atingindo 29 mil milhões de euros. Os iates de luxo continuaram a crescer, impulsionados por uma carteira de encomendas forte acumulada nos anos anteriores. A Europa confirmou o seu papel como uma região chave, enquanto os Estados Unidos e a China registaram um crescimento mais lento devido a fundamentos macroeconómicos mais desafiantes.

O mercado de cruzeiros de luxo atingiu os 4 mil milhões de euros, mais do que duplicando em relação a 2022 à medida que as restrições relacionadas com a pandemia foram levantadas. Os consumidores mostraram interesse no novo segmento ultra-luxuoso, bem como em viagens não convencionais. Vários intervenientes de alto nível na hotelaria e viagens têm entrado progressivamente no segmento, com um navio já lançado e mais de cinco planeados para o futuro próximo.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img