Segunda-feira, Maio 20, 2024
Segunda-feira, Maio 20, 2024

SIGA-NOS:

IATA exige apoio “forte e urgente” para aumentar a produção de SAF

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) reiterou os apelos do setor da aviação para o apoio estatal no aumento da produção de combustível de aviação sustentável (SAF) para cumprir as metas de zero emissões líquidas até 2050.

Recentemente, a associação publicou uma comparação de 14 estratégias de transição para a aviação com emissões líquidas nulas de CO2. Estas estratégias abrangem diversas opções, como o SAF, novas tecnologias para aeronaves, combustíveis com emissões nulas de carbono e melhorias operacionais.

O relatório sugere que o SAF será responsável pela maior quantidade de reduções de CO2 até 2050. No entanto, o papel do SAF varia entre 24% e 70%.

“Esta ampla gama reflete as incertezas relativas a potenciais acções governamentais de apoio, o nível de investimentos, o custo de produção e o potencial de lucro, bem como o acesso a matérias-primas”, afirmou a IATA.

“Espera-se que as melhorias tecnológicas e de eficiência operacional desempenhem um papel semelhante na transição para o zero líquido em todos os roteiros, contribuindo juntas com cerca de 30% da redução de emissões até 2050 em todos os cenários”.

Marie Owens Thomsen, vice-presidente sénior e economista-chefe de sustentabilidade da IATA, destacou a importância de utilizar diversas estratégias em combinação para alcançar o objetivo de descarbonizar a aviação até 2050. “Todas estas alavancas serão necessárias na transição da aviação. Embora o impacto de cada uma varie entre os roteiros, todos os roteiros esperam que a maior descarbonização em 2050 provenha dos SAF”, afirma.

“Este relatório fornece às companhias aéreas, aos decisores políticos e a todas as partes interessadas uma ferramenta útil para analisar e melhorar as suas opções políticas, de investimento e comerciais”.

“É particularmente importante para o SAF, onde é necessário um forte e urgente apoio político público para aumentar a produção. Sem isso, nenhuma versão dos roteiros nos levará a emissões de carbono líquidas zero até 2050”, defende Thomsen.

O apelo ecoa o pedido do diretor executivo da Jet2, Steve Heapy, por uma ação governamental urgente para incentivar a produção de SAF no Reino Unido, com um aviso de que os suprimentos limitados colocarão a indústria e os turistas “em desvantagem”.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img