Quinta-feira, Setembro 29, 2022
Quinta-feira, Setembro 29, 2022

SIGA-NOS:

Jovens pelo mundo: Miguel Matos, o jovem de 28 anos que é Product Manager em Berlim

Licenciado em Turismo pela ESTM (Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar) e com um mestrado em Gestão e Direção Hoteleira na mesma universidade, Miguel Matos é um jovem de 28 anos, de Benavente. Escolheu fazer carreira neste setor porque sempre gostou “de pessoas e de viajar”. Atualmente, está a trabalhar em Berlim na Juvigo – uma plataforma que oferece uma seleção de campos de férias, colónias, campos de verão e viagens linguísticas para jovens e crianças.

“Apesar de ter estudado Gestão e Direção Hoteleira, o meu foco nunca foi muito a hotelaria. Eu acredito que as empresas multinacionais são melhores em termos de crescimento e de aprendizagem. Na hotelaria existem menos oportunidades e as condições são um pouco distintas de outras áreas dentro da indústria do turismo”, explica em declarações ao TNews.

Miguel foi monitor, durante vários anos, no Campo Aventura de Óbidos – um dos campos de férias mais conceituados do país – e foi com essa experiência que ganhou “o bichinho pela animação”. Mais tarde, durante o mestrado, fez um estágio extracurricular no hotel Pestana Porto Santo na área da animação turística.

Mais tarde, desempenhou a função de assistente de direção e de gestor de apartamentos turísticos no Baleal, na empresa HolidayonJ, que era proprietária de um hotel em Lisboa e de diversos apartamentos turísticos na ilha próxima de Peniche.

A segunda experiência na área da animação aconteceu em 2019, quando embarcou para a Grécia durante seis meses para ser animador turístico num hotel familiar, através da Remarc Sunseafun, uma empresa de animação e entretenimento hoteleiro para o sul da Europa. “Quis seguir animação turística, porque sempre gostei muito de trabalhar com pessoas. Este interesse surgiu quando tive a oportunidade de trabalhar com crianças no Campo Aventura”, explica.

“Eu acredito que as empresas multinacionais são melhores em termos de crescimento e de aprendizagem. Na hotelaria existem menos oportunidades.”

2020: Pandemia e procura de emprego online

“Em 2020, com a pandemia, a área do turismo ficou muito em incerta e não havia muitas oportunidades de trabalho, então comecei a procurar no estrangeiro e surgiu esta oportunidade no Linkedin. A Juvigo, na altura, estava à procura de um português para abrir o mercado em Portugal”, conta.

A Juvigo é uma empresa alemã, que está atualmente presente em nove países. Cada um desses países tem a sua própria plataforma online que oferece uma seleção de campos de férias, colónias, campos de verão e viagens linguísticas para jovens e crianças. A empresa também funciona como intermediária, contactando diretamente com os diferentes organizadores e parceiros e dando atendimento aos pais de forma a “encontrarem o campo de férias perfeito”.

“Como a Booking está para os hotéis, a Juvigo está para os campos de férias”, contextualiza. Apesar da plataforma juvigo.pt oferecer maioritariamente programas em Portugal, Miguel sublinha que a empresa trabalha “com uma grande rede de parceiros nos diversos países e os organizadores têm a oportunidade de anunciarem programas em países que não sejam os deles”. Os parceiros de Espanha podem, por exemplo, promover os seus programas em Portugal.

Juvigo: crescer na empresa num curto período de tempo

Começou a trabalhar na empresa em janeiro de 2021 como Portuguese Business Development Management, cargo que exerceu durante seis meses e que consistia em promover o conhecimento da marca Juvigo no mercado de viagens português e adquirir novos organizadores de campos de férias portugueses.

Miguel Matos afirma que a integração na empresa correu bem. “A equipa estava a expandir no momento da minha entrada, porque quando abriram o mercado para Portugal também abriram para Espanha e Áustria. Fui muito bem recebido e foi interessante porque, como vinha desenvolver o nosso mercado, nunca perdi o contato com Portugal mas na empresa era o único português”.

Visita a um dos campos de férias parceiro da Juvigo

Desde julho de 2021, desempenha a função de Product Manager Juvigo Ibérico e, além de Country Manager para Portugal, está a liderar a equipa de Portugal e Espanha. Miguel clarifica que está a trabalhar em Berlim porque a empresa prefere ter todas as equipas a trabalhar a partir do escritório central, mas “trabalho maioritariamente com pessoas de Portugal e falo todos os dias com os nossos parceiros portugueses”.

“Comecei como responsável para o mercado português, para perceber se empresa de facto ia ser bem-sucedida em Portugal e, a partir do momento em que desenvolvi o meu trabalho e fui bem sucedido, houve possibilidade de crescer na empresa num curto período de tempo. Em Portugal isto não é tão normal, apesar de existir essa possibilidade, demora-se mais para crescer na carreira e ter a possibilidade de subir de posição”.

Miguel refere que “existe uma grande valorização dos trabalhadores no estrangeiro” e que o mesmo, no geral, não acontece em Portugal. “Apesar do país estar a evoluir, os salários não estão a acompanhar e existem muitas exigências para os jovens que acabaram de estudar. De forma geral, espera-se muito mas dá-se pouco em troca”, defende.

“tive possibilidade de crescer na empresa num curto período de tempo. Em Portugal isto não é tão normal, apesar de existir essa possibilidade, demora-se mais para ter a possibilidade de subir de posição”.

As condições de trabalho em Berlim são “excelentes”. No escritório central da Juvigo, vive-se um ambiente internacional, porque como estão presentes em nove destinos, Miguel trabalha diariamente com colegas de diferentes nacionalidades e existe “interculturalidade dentro da equipa”. Apesar da empresa não cobrir o alojamento, “os salários são diferentes, são superiores, o que permite gerir o estilo de vida de uma forma diferente”, conta.

Fotografia de grupo, no escritório central da Juvigo, com colegas de diferentes departamentos e países

Na Juvigo existem muitas possibilidades de crescimento dentro da empresa, segundo Miguel. “Tive a oportunidade de liderar a equipa de Portugal e de Espanha, o que acaba por ser interessante a nível de possibilidades de crescimento”.

O jovem já tinha tido outros cargos de gestão em Portugal, mas sempre com equipas pequenas. “Na Juvigo, a equipa é maior e, apesar de liderar a equipa de Portugal e Espanha, acabo por ter que lidar com os diferentes departamentos e a comunicação é sempre feita em inglês, o que acaba por ser um desafio superior a nível de aprendizagem e permite um maior crescimento”, refere.

“Tive a oportunidade de liderar a equipa de Portugal e de Espanha, o que acaba por ser interessante a nível de possibilidades de crescimento”.

Está em Berlim há um ano e oito meses mas, no futuro, Miguel admite que gostava de retornar a Portugal. “O meu objetivo é regressar a Portugal e ter a possibilidade de fazer o mesmo que faço agora, mas de forma inversa. Ou seja, em vez de ir várias vezes em trabalho a Portugal, queria ficar em Portugal e ir várias vezes a Berlim”, conclui.

*Durante as próximas semanas, iremos partilhar experiências de jovens portugueses a trabalhar no setor do turismo no estrangeiro.

Leia a história da Mariana, a jovem de 25 anos que é Island Host nas Maldivas; da Matilde, que estagiou no resort Bulgari no Dubai; e da Marisa Brandão, a jovem que é estagiária em Las Palmas, nas Canárias.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img