Segunda-feira, Julho 22, 2024
Segunda-feira, Julho 22, 2024

SIGA-NOS:

Madeira eleita Melhor Destino Europeu de Cruzeiros pela segunda vez

-PUB-spot_img

A Madeira recebeu, pelo segundo ano consecutivo, o prémio de Melhor Destino Europeu de Cruzeiros. Além da Madeira, estavam nomeados Atenas, Barcelona, Dubrovnik, Kotor, Lisboa, Londres, Monte Carlo, Nice, Oslo e Roma. No decorrer de três edições todos os prémios ficaram em Portugal, já que depois da vitória de Lisboa em 2021, a Madeira foi consagrada nos dois últimos anos.

A Cerimónia de Gala dos World Cruise Awards 2023 decorreu no passado domingo, dia 15, no Atlantis The Royal, no Dubai. A noite de passadeira vermelha reuniu personalidades do setor dos cruzeiros, meios de comunicação e clientes de todo o mundo.

“Esta distinção é para nós e para a região um grande orgulho, refletindo o sucesso da estratégia levada a cabo pelo Governo Regional da Madeira, através da APRAM, S.A., reconstruindo a confiança dos turistas de cruzeiros, estimulando a procura e mantendo a região no topo das preferências do turismo de cruzeiro internacional”, afirmou Rui Barreto, secretário regional da Economia que tutela os portos da Madeira.

“Este prémio vai certamente trazer frutos bastante positivos para o futuro. Este é sem dúvida um estímulo para as nossas equipas e um reconhecimento do trabalho que tem sido feito por todos os agentes do setor. É também um prémio para os madeirenses que acompanham com gosto a presença do turismo de cruzeiros na nossa região, sobretudo em alturas como o final do ano quando tradicionalmente são batidos recordes de visitas e estadias”, acrescentou o governante.

De acordo com o comunicado, na época de 2022-2023, os Portos da Madeira “continuaram em alta”, tendo registado um movimento de 557 824 passageiros (284 056 na época anterior), o que representa um crescimento de 104% relativamente ao período homólogo. De 1 de setembro de 2022 a 31 de maio de 2023, a média de passageiros por navio fixou-se nos 1 949, uma subida de 109% face aos 931 da época de 2021/2022. No mesmo período, registaram-se 286 escalas, menos oito que na época anterior, o que se explica pelo “regresso à normalidade do setor”.

-PUB-spot_img

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img