Segunda-feira, Fevereiro 26, 2024
Segunda-feira, Fevereiro 26, 2024

SIGA-NOS:

Novo comportamento dos hóspedes traz desafios ao serviço de limpeza dos hotéis

Com a reabertura dos hotéis, e a alteração no comportamento dos hóspedes, levantaram-se novos desafios para o serviço de limpeza dos estabelecimentos hoteleiros, relata a CoStar.

Uma grande parte dos hóspedes está a viajar em grupos maiores, acabando por ficar mais tempo e causar mais desarrumação nos quartos.

“Testemunhamos uma mudança no comportamento dos hóspedes no que toca ao uso da roupa de cama e da frequência com que as toalhas são utilizadas”, comentou Ashley Manley, diretora de vendas da Fairfield by Marriott San Diego North / San Marcos, em San Marcos, Califórnia. “Isto coloca ainda mais pressão sob os empregados de limpeza, que já estão a tomar medidas extra para reduzir a disseminação do COVID-19.”

Ser inteligente quanto à equipa e às compras ajuda, especialmente quando os fornecedores costumam ter produtos pendentes, disse Ashley Manley. A comunicação entre os departamentos do hotel também é muito importante para a gestão de tarefas.

Houve duas mudanças nas preferências dos hóspedes que permitiram que a equipa de limpeza do Fairfield by Marriott San Diego North / San Marcos gastasse mais tempo a detalhar e inspecionar os quartos: mais hóspedes a hospedar-se por mais tempo e menos convidados a querer funcionários a entrar nos seus quartos.

Os hotéis que o Radisson Hotel Group administra atualmente não limpam quartos para estadias inferiores a três dias, e a equipa tem trabalhado para educar os hóspedes sobre essa política, constatou Judd Wadholm, vice presidente dos hotéis administrados da empresa.

Mas ainda é possível a limpeza do quarto a meio da estadia, caso o hóspede solicite esse serviço. “Como não limpamos durante a estadia do hóspede, descobrimos que, no momento do check-out do hóspede, os quartos exigem mais tempo para devolvê-los ao mais alto nível de limpeza”, disse Wadholm. “Antes da mudança na política de limpeza, um quarto de hóspedes levava cerca de 30 minutos para limpar, enquanto agora, leva cerca de 45 a 50 minutos”, acrescentou.

Gabriel Ibarra Macías, diretor de vendas e marketing do Mexico Grand Hotels, disse que a maioria dos hóspedes das suas propriedades são grupos familiares ou grupos de adultos que viajam juntos. O custo por quarto aumenta em termos de consumo de toalhas, lençóis, água e tempo de limpeza.

Ron Pohl, vice presidente sénior e diretor de operações da Best Western Hotels & Resorts, disse que o comportamento dos viajantes mudou devido à pandemia: “Não há como negar que a forma como as pessoas viajam mudou para sempre, e a indústria hoteleira adaptou-se rapidamente aos desejos e necessidades dos viajantes de hoje”.

Um dos maiores desafios que os hotéis enfrentam hoje é garantir uma experiência consistente aos hóspedes, disse Ron Pohl. Cada hotel pode ter que cumprir diferentes padrões ou requisitos governamentais, resultando em serviços e comodidades limitadas. O setor de hotelaria também vive uma crise no trabalho, o que está a impactar as ofertas que os hotéis oferecem aos seus hóspedes.

No início da pandemia, a Best Western respondeu à crise de saúde com o seu programa “We Care Clean”, que garante que todos os espaços públicos são higienizados e desinfetados com mais frequência. Os protocolos também possuem alguma flexibilidade, por forma a garantir uma experiência personalizada no quarto de hóspedes, destacou Ron Pohl.

“A maioria dos clientes prefere que não fiquemos nos seus quartos de hotel desnecessariamente, por isso eliminámos os serviços de limpeza diários, no entanto, a opção de limpeza diária está sempre disponível mediante solicitação”, disse Pohl. “Isso permite que o hotel ajuste os seus procedimentos de limpeza para garantir que as expectativas dos hóspedes sejam atendidas”, concluiu.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img