Quarta-feira, Dezembro 7, 2022
Quarta-feira, Dezembro 7, 2022

SIGA-NOS:

Performance da China dá à Marriott confiança na recuperação global

À medida que os planos de vacinação avançam, já se nota uma recuperação da procura, diz o CEO da Marriott International, Tony Capuano.

Durante a conferência de apresentação de resultados do primeiro trimestre de 2021 da Marriott, Capuano, citado pela Hotel News Now, afirma que mais de 95% dos hotéis da empresa estão abertos globalmente e a ocupação mundial tem melhorado a cada mês este ano.

“Em março, registámos o maior aumento sequencial na ocupação global desde o início da pandemia”, refere o responsável.

A ocupação cresceu para mais de 45%, um aumento de 9 pontos percentuais em relação a fevereiro. A ocupação global cresceu novamente em abril para cerca de 48%.

A recuperação na China continental é encorajadora, disse Capuano. Embora vários mercados estivessem sob fortes restrições em janeiro e fevereiro, a procura recuperou rapidamente quando os casos covid-19 ficaram sob controlo e ocorreu um alívio das restrições. A ocupação foi de 66%, quase estável em relação a março de 2019.

“Apesar das viagens internacionais limitadas para a China Continental, vimos uma forte procura de hóspedes a lazer e negócios em março”, constata.

As noites em quartos de grupo em março ainda estavam abaixo dos níveis de março de 2019. A demanda neste segmento cresceu significativamente depois que as restrições a grandes encontros foram suspensas, disse ele.

“Ver estas tendências na China Continental perto dos níveis pré-pandémicos dá-nos confiança em recuperações fortes e totais em todos os segmentos de clientes noutras regiões, conforme as condições melhorem”, defende.

A procura aumentou rapidamente nos hotéis da Marriott em países que tiveram lançamentos de vacinas precoces e rápidas, como Estados Unidos, Emirados Árabes Unidos e Qatar, explica Capuano. O mesmo também sucedeu em mercados onde o transporte aéreo melhorou ou as restrições às viagens diminuíram, como México, Macau e as Ilhas Virgens dos EUA.

A procura por quartos continua fortemente voltada para o lazer, mas a resiliência da procura geral é clara, afirma. Quando a União Europeia anunciou que espera abrir as suas fronteiras aos viajantes dos EUA vacinados neste verão, as centrais de reservas da Marriott viram “um aumento imediato” no volume de chamadas. A ocupação nos EUA também aumentou. A região dos Estados Unidos e Canadá teve a segunda maior ocupação em março, com 49%, atrás apenas da Grande China.

As reservas de empresas e grupos nos Estados Unidos e Canadá permanecem significativamente abaixo dos níveis pré-pandémicos, mas estão a recuperar, explicou Capuano. Em março, as reservas no segmento corporate para futuras estadias ultrapassaram em 25% as reservas de fevereiro, o maior aumento mensal sequencial neste segmento de clientes desde o início da pandemia. As reservas em abril cresceram 13% em relação a março.

As reservas de grupos nos Estados Unidos e Canadá continuam a aumentar à medida que os profissionais da Meeting Industry estão cada vez mais otimistas quanto à recuperação e sentem-se mais confiantes para planear eventos, especialmente a partir de 2022, afirma Capuano.

“Talvez mais importante, as tarifas das reservas de noites de grupos efetuadas no primeiro trimestre para 2022 e 2023 estão atualmente 6% e 10%, respetivamente, acima dos níveis pré-pandêmicos, demonstrando que não estamos a trocar preço por ocupação”, conclui.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img