Domingo, Agosto 14, 2022
Domingo, Agosto 14, 2022

SIGA-NOS:

Que perdas trouxe a pandemia à economia global?

A Organização Mundial do Turismo (OMT) fez uma previsão do impacto da covid-19 no Turismo, apontando que as perdas económicas estão a aumentar nos países em desenvolvimento devido à ausência de vacinas contra a covid-19.

O relatório da United Nations Conference on Trade and Development (UNCTAD) revela que o impacto da pandemia pode causar uma perda em mais de 4 biliões no PIB Global de 2020 e 2021.

Este relatório revelou ainda que as perdas no turismo e nos setores associados foi de 2,4 biliões, devido à queda acentuada nas chegadas de turistas internacionais.

Isabelle Durant, secretária-geral interina da UNCTAD disse que “o mundo precisa de um esforço global de vacinação que proteja os trabalhadores, reduza os efeitos sociais adversos e tome decisões estratégicas em relação ao turismo, levando em conta possíveis mudanças estruturais”

O Secretário-Geral da OMT, Zurab Pololikashvili, defende que o avanço da vacinação “para proteger as comunidades e apoiar o reinício seguro do turismo é fundamental para a recuperação de empregos e a geração de recursos tão necessários, especialmente em países em desenvolvimento, muitos dos quais são altamente dependentes do turismo internacional”.

O relatório refere ainda que com o avanço significativo da vacinação nos países desenvolvidos as perdas turísticas são, na sua maioria reduzidas, em contraste com os países em desenvolvimento cujas perdas foram mais acentuadas. Esta assimetria amplia o golpe económico que o turismo dos países em desenvolvimento sofreu. Estes países podem representar até 60% das perdas globais do PIB. 

É esperado que países como a França, a Alemanha, a Suíça, o Reino unido e os Estados Unidos recuperem mais rapidamente devido à alta taxa de vacinação. Mas prevê-se que, antes de 2023, não se chegue aos níveis pré-pandemia. As principais barreiras para que o retorno seja lento são as restrições de viagens, a lenta contenção do vírus, a baixa confiança dos viajantes e um fraco poder económico. 

Apesar de se esperar uma recuperação do turismo internacional no segundo semestre deste ano são também esperadas perdas entre os 1,7 e os 2,4 biliões, comparando com os níveis de 2019.

A redução do turismo causou um aumento de 5,5% no desemprego da mão de obra não qualificada.

 Em julho do ano passado, a UNCTAD estimou que uma paralisação de quatro a doze meses no turismo internacional custaria à economia global entre 1,2 e os 3,3 biliões, incluindo custos indiretos.

De acordo com a OMT, as chegadas de turistas internacionais diminuíram cerca de mil milhões ou 73% entre janeiro e dezembro de 2020. No primeiro trimestre de 2021, o Barómetro Mundial de Turismo da OMT aponta para uma queda de 84%.

Em 2020 as regiões mais afetadas pela redução na chegada de turistas foram o Nordeste Asiático, o Sudeste Asiático, a Oceânia, o Norte de África e o Sul da Ásia. As menos afetadas foram a América do Norte, a Europa Ocidental e Caribe.  

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img