Quarta-feira, Abril 17, 2024
Quarta-feira, Abril 17, 2024

SIGA-NOS:

Turismo europeu aproxima-se dos níveis pré-pandémicos em 2023, revela estudo

O turismo europeu registou, em 2023, uma recuperação robusta em vários destinos, aproximando-se dos níveis pré-pandémicos. Em todos os destinos comunicados, as chegadas de turistas estrangeiros situam-se 1,6% abaixo dos valores de 2019, demonstrando uma procura de viagens resiliente em todo o continente.

Estes dados foram revelados na última edição do relatório trimestral “European Tourism Trends & Prospects”, publicado no passado dia 13 pela European Travel Commission (ETC), que analisa o desempenho turístico e os indicadores económicos da região durante os últimos meses do ano.

A recuperação é sustentada por viagens intraeuropeias, principalmente da Alemanha, França e Países Baixos. Por sua vez, as chegadas de longo curso também estão a recuperar, mas a um ritmo mais lento e com variações significativas entre regiões como a Ásia-Pacífico e a América do Norte.

“A elevada procura de viagens registada em 2023 deu um impulso significativo às economias europeias e ajudará a melhorar os balanços das empresas de turismo, que foram afetadas pelas restrições às viagens. No entanto, o regresso aos níveis pré-pandémicos também exercerá pressão para acelerar a transição sustentável do setor das viagens”, afirmou Miguel Sanz, presidente da ETC.

Destinos com melhor relação preço/qualidade mais procurados

As viagens europeias mantiveram-se resilientes nos últimos meses de 2023, com dois terços dos destinos a comunicarem uma recuperação total ou a registarem chegadas e/ou dormidas 10% acima dos níveis pré-pandémicos.

Entre os destinos, destacam-se os da Europa do Sul. A Sérvia registou o maior aumento de chegadas (+15%), juntamente com Portugal (+11%), Montenegro (+10%), Turquia (+9%) e Malta (+8%).

Além disso, outros países também registaram uma recuperação significativa em comparação com 2019: a Islândia registou um aumento de 12 % nas chegadas, enquanto os Países Baixos aumentaram as dormidas de turistas em 16 %.

Em contrapartida, os destinos da Europa de Leste que fazem fronteira com a Rússia registaram uma recuperação mais lenta: Lituânia (-32%), Letónia (-29%), Estónia (-27%) e Finlândia (-24%).

Turismo resiliente no meio da inflação económica

No quarto trimestre de 2023, a inflação subiu 23% em comparação com os níveis de 2019, com aumentos particularmente pronunciados nas despesas relacionadas com o turismo, como voos internacionais (+49%), pacotes de férias (+47%) e preços de hotéis (+35%). Estes preços mais elevados “afetaram as finanças das famílias, mas não dissuadiram a maioria das pessoas que desejam viajar”.

Recuperação desigual dos voos de longo curso para a Europa

Embora os turistas chineses tenham representado 13% das chegadas de longo curso da Europa em 2019, o seu regresso desde a reabertura da China tem sido tem sido lento, mas constante. As chegadas de chineses em 2023 situam-se 67% abaixo dos níveis pré-pandémicos, em comparação com a média de 22% para todos os outros mercados de origem de longo curso.

Os destinos europeus podem esperar uma “maior recuperação deste mercado em 2024, prevendo-se que atinja 39% abaixo dos valores de 2019”. Prevê-se também que “as mudanças geracionais e as influências dos meios de comunicação social venham a remodelar cada vez mais as preferências de viagem dos chineses, provocando uma mudança para o luxo e experiências mais autênticas”.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img