Sábado, Abril 20, 2024
Sábado, Abril 20, 2024

SIGA-NOS:

Há dois candidatos à compra da Azores Airlines: Newtour/MS Aviation e Atlantic Consortium

O concurso para a privatização da Azores Airlines recebeu duas propostas, apresentadas pelo Atlantic Consortium e pelo consórcio NewTour/MSAviation, que ofereceram 6,50 euros por cada ação da companhia responsável pelas ligações com o exterior dos Açores.

De acordo com a Lusa, o anúncio foi realizado durante o ato público de abertura das propostas referentes ao concurso público internacional para a privatização da transportadora, que decorreu esta segunda-feira, dia 31 de julho, na sede do Grupo SATA, em Ponta Delgada.

A Newtour, recorde-se, tem no seu portfólio as marcas turísticas Soltrópico, Turangra e Egotravel, sendo ainda detentora do master franchising das agências de viagens Bestravel e de uma participação no grupo de gestão de agências de viagens independentes GEA Portugal. Por sua vez, a MS Aviation, detida pela Bestfly, é uma empresa de gestão de ativos de aeronaves sediada na Áustria que oferece soluções completas de apoio para vários tipos de aeronaves.  

Já o Atlantic Consortium é formado pelas empresas Vesuvius Wings, White Airways, Old North Ventures, Consolidador.com e EuroAtlantic Airways.

Segundo o presidente do júri, Augusto Mateus, a primeira proposta, do NewTour/MSAviation, foi apresentada hoje às 11:37 e pretende adquirir 760 mil ações, com um preço global de 4,940 milhões de euros (6,50 euros por cada ação).

Já a segunda proposta, do Atlantic Consortium, deu entrada às 11:43, com um preço total de 4,875 milhões de euros, oferecendo 6,50 euros por cada ação.

Face às semelhanças entre as duas propostas, o caderno de encargos prevê a realização de um novo ato público de forma a permitir aos concorrentes a alteração dos valores, segundo o presidente do júri.

“Quando não há uma base para discriminar – aqui [o valor por ação] é mesmo igual – o caderno de encargos prevê o procedimento que agora vamos organizar: o de haver uma reunião em que os concorrentes, perante a informação que hoje obtiveram, melhorarem ou não a respetiva proposta”, afirmou Augusto Mateus aos jornalistas, após a sessão.

Segundo o responsável, o novo ato público deverá decorrer na “próxima semana”, conforme as “disponibilidades”.

“A perspetiva não é fazer de ‘pai severo’. É a de cumprir rigorosamente tudo o que está no caderno de encargos, mas se houver questões formais que estejam insuficientemente preenchidas dar um prazo a cada concorrente para suprir a deficiência”, destacou.

Augusto Mateus lembrou ainda que o relatório do júri com a ordenação das propostas deverá ficar concluído em “finais de setembro”.

No final do ato público, o representante da NewTour/MSAviation, Tiago Raiano, não adiantou se o consórcio vai alterar os valores da proposta, destacando que o processo é “complexo”.

“É um processo transparente, com o formalismo correto. O facto de existirem duas propostas é relevante para a SATA, com dois consórcios com ligações aos Açores. É importante para os Açores”, afirmou aos jornalistas o diretor executivo da NewTour, empresa com sede no arquipélago e ligada ao setor do turismo.

O representante do Atlantic Consortium, Luís Nunes (gestor que lidera o portal de viagens Azores Getaways) não quis prestar declarações à imprensa.

O Atlantic Consortium é formado pelas empresas Vesuvius Wings, White Airways, Old North Ventures, Consolidador e EuroAtlantic Airways.

Em 07 de março, o executivo açoriano revelou que o caderno de encargos da privatização da Azores Airlines previa uma alienação de no mínimo 51% e, no máximo, 85% do capital social da companhia pública regional.

O concurso de privatização foi aberto nesse mês, com um período de 90 dias para a apresentação de propostas, até 20 de junho, mas o prazo foi prorrogado até 31 de julho, na sequência de “pedidos informais e formais” de possíveis interessados.

A Comissão Europeia aprovou uma ajuda estatal portuguesa para apoio à reestruturação da companhia aérea de 453,25 milhões de euros em empréstimos e garantias estatais, prevendo ‘remédios’ como uma reorganização da estrutura e o desinvestimento de uma participação de controlo (51%) na Azores Airlines, a companhia do grupo SATA responsável pelas ligações com o exterior do arquipélago.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img