Sexta-feira, Agosto 12, 2022
Sexta-feira, Agosto 12, 2022

SIGA-NOS:

IATA discorda da decisão da Comissão Europeia sobre uso de slots: “É fora do alcance da realidade”

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) considera a decisão da Comissão Europeia sobre o uso de slots “fora do alcance da realidade”. Em causa está a decisão de limitar o uso de slots no inverno de 2021/2022 em 50%.

Após o início da pandemia, os reguladores europeus suspenderam temporariamente as regras existentes para o uso das slots, que exigiam que as companhias aéreas operassem 80% dos slots, sob o risco de perdê-las. A utilização mínima de 80% foi reduzida para 50% neste verão.

Com os requisitos de quarentena a diminuir na Europa, as companhias aéreas estão preocupadas que o aumento nas viagens possa ser temporário e que ainda não seja possível haver uma recuperação. Com isso em mente, pressionaram a Comissão Europeia para dispensar as regras de exigência de slots para a próxima temporada de inverno.

A Comissão Europeia ignorou o pedido de isenção das companhias aéreas e insiste que as companhias aéreas continuem a usar 50% da alocação de slots ou correm o risco de perdê-las no ano seguinte. A IATA diz que a decisão agora pode prejudicar “uma recuperação e forçará as companhias aéreas a operar voos desnecessários”.

Willie Walsh, diretor-geral da IATA, afirma: “Mais uma vez, a Comissão mostrou que estão desligados da realidade. O setor de aviação civil ainda enfrenta a pior crise de sua história. A Comissão tinha um objetivo aberto de usar o regulamento de slots para promover uma recuperação sustentável para as companhias aéreas, mas falhou. Em vez disso, mostraram desprezo pela indústria e pelos muitos Estados membros que repetidamente pediram uma solução mais flexível, perseguindo teimosamente uma política que é contrária a todas as evidências apresentadas”.

O argumento da Comissão é que a recuperação do tráfego intra-UE neste verão justificou um limite de utilização de 50% sem qualquer redução. mas a IATA contraria este argumentou apontando que: “A extensão da recuperação intra-UE é, na melhor das hipóteses, apenas um indicador parcial da extensão da recuperação em aeroportos com restrição de faixas horárias, onde as faixas-chave são necessárias para conexões de tráfego global que ainda não foram recuperadas. A IATA estima que as viagens internacionais atingirão apenas 34% dos níveis de 2019 até o final de 2021”.

Por outro lado, a procura de inverno “está sempre abaixo da procura de verão, mesmo em anos bons. As reservas de longa distância para a UE estão atualmente num média de 20% dos níveis de 2019”, defende a IATA.

Apesar do lançamento de vacinas, “os governos continuam extremamente cautelosos quanto à abertura de fronteiras. A resposta às variantes do vírus tem sido fechar fronteiras ou instigar medidas de quarentena que instantaneamente eliminam a procuram por viagens. É claro que a procura por viagens aéreas na Europa ainda é extremamente fraca e imprevisível”, argumenta a IATA.

Outros reguladores fora da UE, como o Reino Unido, China, América Latina e Ásia-Pacífico adotaram “medidas muito mais flexíveis”, afirma a IATA. “Apenas a UE insistiu dogmaticamente que o tráfego retornará a uma taxa muito além de qualquer previsão razoável”.

“É uma grande ironia que apenas uma semana depois da Comissão divulgar seu plano de emissões de carbono ‘Fit for 55’, publique um regulamento de slots que pode forçar as companhias aéreas a voar independentemente da existência da procura suficiente para aquela rota. O comissário dos Transportes, Valean, disse: “Precisamos agir com ambição pelo nosso planeta, mas sem punir os cidadãos ou empresas”. Claramente, essa decisão sobre os slots não atende a essas condições ”, disse Walsh.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img