Sexta-feira, Junho 14, 2024
Sexta-feira, Junho 14, 2024

SIGA-NOS:

Istambul, Lisboa e Madrid lideram recuperação do turismo europeu no quarto trimestre


A tendência positiva que o setor do turismo na Europa viveu ao longo do ano vai manter-se no quarto trimestre deste ano, sendo Istambul, Lisboa e Madrid os destinos que têm apresentado os melhores resultados até ao momento, segundo dados da empresa de inteligência turística ForwardKeys.

Destinos do sul continuarão a liderar, mas a recuperação acelera no norte da Europa

Os dados de passagens aéreas da ForwardKeys mostram uma melhoria acentuada no segundo semestre do ano. No terceiro trimestre, as chegadas internacionais à Europa caíram 29% em comparação com os níveis de 2019, um número melhor, mas ainda atrás das reservas em comparação com a África e o Oriente Médio, -19% e as Américas, -24%.

No geral, os números de chegada no quarto trimestre em toda a Europa terão uma melhoria no terceiro trimestre e os números mostram uma recuperação no quarto trimestre de 2022 em relação aos números do quarto trimestre de 2019.

Retorno dos destinos urbanos

Depois de meses do domínio dos destinos do sol e da praia, os destinos urbanos estão a atrair mais visitantes internacionais. Os dados da ForwardKeys mostram uma recuperação progressiva no turismo urbano em relação aos níveis de 2019 à medida que nos aproximamos do final do ano, enquanto os destinos de sol e praia mostram números de estabilização, exceto em outubro, quando os principais mercados de origem, como Alemanha e Reino Unido, aproveitam as férias escolares de outono em estâncias balneares do sul da Europa, como as Ilhas Canárias, numa última oportunidade de apanhar sol antes do próximo ano.

Istambul, Lisboa e Madrid devem continuar a atrair chegadas internacionais próximas aos níveis pré-pandemia após os meses clássicos de verão. Istambul ainda mostra números de crescimento no terceiro e quarto trimestres. O forte desempenho de Istambul está ligado à resiliência dos mercados de longa distância e intra-europeus. “Impulsionada por uma lira fraca e excelente conectividade, Istambul foi novamente a cidade com melhor desempenho no terceiro trimestre de 2022 e deve permanecer no verde durante o quarto trimestre, já que as reservas estão 6% acima dos níveis de 2019”, diz Olivier Ponti, vice-presidente de Insights da ForwardKeys.

A atual queda do euro e a subida do dólar levará mais viajantes americanos à Europa no último trimestre do ano.

“A partir de 11 de outubro, vemos que a recuperação das viagens dos EUA para a Europa no terceiro trimestre foi de -6% em relação a 2019, com destinos como Lisboa +47%, Atenas +27% e Milão +12% a apresentarem crescimento em relação ao pré -níveis de pandemia. Para o quarto trimestre, vemos uma melhoria adicional para Lisboa como destino para passageiros dos EUA, atualmente com +50% em relação aos níveis de 2019, sendo impulsionado pelas chegadas de São Francisco em +119%, e Washington e Miami ambos em +84%”, revela Ponti.

“O mercado norte-americano está a regressar com força, fruto de uma estratégia de desenvolvimento de várias novas rotas das cidades norte-americanas para Lisboa. O período de pandemia interrompeu-o durante dois anos, mas agora o esforço continua e parece já estar a dar frutos”, disse Vítor Costa, diretor geral do Turismo de Lisboa, citado pela ForwardKeys.

Lisboa não só atrairá uma boa parte das chegadas dos EUA às suas costas, mas também viajantes de classe premium da América Latina.

Ameaças e oportunidades no turismo urbano europeu

Com o conflito em curso na Ucrânia, o aumento das tarifas aéreas e do custo de vida, pode-se esperar mais alguns solavancos no caminho da recuperação. Os aeroportos vão aguentar a correria do Natal? A boa notícia é que os dados da ForwardKeys mostram a continuidade das viagens pela Europa no quarto trimestre. “A situação das reservas mostra que haverá uma forte demanda, mas isso pode colocar os aeroportos e as companhias aéreas sob pressão novamente, como vimos neste verão”, diz Ponti.

Além da força das viagens transatlânticas e da resiliência das viagens intra-europeias, a reabertura dos principais mercados asiáticos também é motivo de otimismo cauteloso em relação à recuperação das viagens internacionais para a Europa.

“O recente levantamento das restrições de viagem em Hong Kong e no Japão facilitou o regresso dos nacionais destes países às viagens internacionais e, consequentemente, a Europa deverá beneficiar disso”, acrescenta Ponti.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img