Domingo, Agosto 14, 2022
Domingo, Agosto 14, 2022

SIGA-NOS:

Meliá faz progresso na digitalização: “O Metaverso aproximará a hotelaria e o turismo da inovação”

“O turismo é um setor em constante reinvenção, que se adapta a novas circunstâncias, necessidades e tendências”, destaca Gabriel Escarrer, vice-presidente executivo e CEO da Meliá Hotels International, numa newsletter no Linkedin que aborda as últimas notícias e tendências do setor. Nesta constante reinvenção do turismo, Escarrer destaca que, no seu compromisso com a inovação, a rede já está “a trabalhar em projetos que incorporam o Metaverso”, noticia o Hosteltur.

“O Metaverso pode ser uma forma de nos darmos a conhecer a novos públicos, dando visibilidade a destinos e produtos através de novas experiências para o utilizador”, defende Escarrer nesta primeira publicação da newsletter, na qual explica que enquanto os projetos hoteleiros no mundo virtual são finalizados, continuará a ser feito progresso na digitalização da experiência do cliente.

“O Metaverso aproximará a hotelaria e o turismo da inovação, integrando-a e mudando a perspetiva que temos atualmente sobre o setor”, afirma o CEO da Meliá.

Nesse sentido, Gabriel Escarrer defende que o turismo, à semelhança dos restantes setores, deve continuar a avançar na digitalização, “não só ao nível operacional mas também ao nível da experiência do cliente”.

Tendências

Na sua análise da situação do setor, Escarrer também faz alusão a um relatório recente apresentado pela Statista Q no ITB, em Berlim, que enfatiza que em 2022 algumas das tendências dos últimos anos continuarão, com um maior interesse pela tecnologia, flexibilidade e um maior peso do turismo doméstico.

“O crescente interesse pela tecnologia em todas as áreas também é observado nos viajantes, que procuram incorporar a digitalização nas suas viagens, através de dispositivos tecnológicos que utilizam durante as suas estadias em hotéis ou com o uso de Inteligência Artificial para facilitar processos e personalizar experiências”, destaca.

Além disso, defende que a espontaneidade e as reservas de última hora continuarão muito presentes este ano e, em linha com essa tendência, o compromisso dos viajantes com tarifas que podem ser canceladas ou alteradas. “O turismo doméstico vai continuar a ser, depois do seu boom devido à pandemia e às restrições, uma tendência também em 2022”, indica.

Escarrer sustenta, ainda, que embora os dados apontem para a recuperação do turismo após estes dois últimos anos de pandemia, “continuamos a enfrentar novas fontes de tensão global”, referindo-se à invasão da Ucrânia pela Rússia e à instabilidade geopolítica que esta guerra acarreta, embora mantenha o otimismo para a temporada de 2022.

“Tudo indica que a resiliência da procura turística baseada na vontade de viajar, que os cidadãos contiveram durante os longos meses de covid-19, são mais fortes do que a incerteza que a guerra na Ucrânia pode estar a causar. Somando este facto ao controlo da pandemia, devido aos avanços nas vacinas e à eliminação das restrições, permitem-nos prever uma recuperação há muito esperada e sustentada em 2022”, conclui.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img