Domingo, Julho 14, 2024
Domingo, Julho 14, 2024

SIGA-NOS:

Número de reclamações no setor do turismo dispara 40% face a 2019

-PUB-spot_img

O setor do Turismo foi alvo de 3 mil reclamações desde o início do ano, um aumento de 40% face ao mesmo período de 2019, revela uma análise do Portal da Queixa por ocasião do Dia Mundial do Turismo, assinalado esta quarta-feira, dia 27. Os consumidores queixam-se principalmente das companhias aéreas e dos sites de reservas de viagens. A TAP, a Ryanair e a easyJet estão no pódio das entidades com mais reclamações recebidas. 

Entre os dias 1 de janeiro e 26 de setembro deste ano, o Portal da Queixa recebeu 3.067 reclamações relacionadas com o setor do Turismo. Comparativamente com o período homólogo de 2019 – ano de pré-pandemia -, verifica-se um crescimento no número de reclamações na ordem dos 40%. Em 2019, foram registadas 2.481 queixas.

Segundo a análise efetuada à categoria “Hotéis, Viagens e Turismo”, observa-se que o maior volume de reclamações registado, este ano, foi nas Companhias Aéreas (a somar 35.3% das queixas). Ocupam o segundo lugar os Sites de Reservas de Viagens (26.3%). Em terceiro lugar estão os Sites de Reservas de Alojamento (12.3%). Seguem-se as Agências de Viagens (8.9%) e os Marketplaces – Viagens, Produtos e Serviços a acolher 5.6% das reclamações.

Entre os principais motivos de reclamação dos consumidores dirigidos ao setor de turismo estão: problemas com o reembolso (20.8%); a cobrança indevida (12.7%); a falta de qualidade do serviço/hospedagem (9.8%); a dificuldade no apoio ao cliente (7.3%); problemas com o cancelamento da reserva (6.7%); e com o cancelamento/alteração do voo (6.1%).

Companhias Aéreas: TAP é a mais visada

No Top 3 das empresas com mais reclamações, a TAP assume o pódio com 11.4% das queixas recebidas desde o início do ano. Segue-se a Ryanair com 7.6%, e a easyJet a recolher 5.2% de reclamações.

A motivar as queixas contra as Companhias Aéreas estão problemas relacionados com o reembolso; dificuldades com o cancelamento/alteração de voo; atraso em voo; perda ou problemas com bagagem; e mau atendimento ao cliente.

A análise permitiu ainda aferir que as três entidades mais reclamadas registam baixos níveis de performance no Portal da Queixa, no que se refere à resolução dos problemas reportados pelos consumidores. Todas as marcas têm Índices de Satisfação (IS) abaixo dos 16 pontos (em 100), resultando numa reputação avaliada como “Insatisfatória”. 

Por outro lado, são as Agências de Viagens que se destacam com o melhor IS na categoria Hotéis, Viagens e Turismo. O bom exemplo vem da Rickytravel (Agência de Viagens), com um nível de reputação “Excelente”, avaliado pelos consumidores em 94.5. Em segundo figura a Top Atlântico (Rede de agências de Viagens), com um IS de 85.7. O terceiro lugar é ocupado pela Traventia (Site de Reserva de Alojamentos), com 82.7 de pontuação. 

Segundo Pedro Lourenço, fundador do Portal da Queixa e CEO da Consumers Trust, a reputação do setor tem sido colocada em causa pela falta de apoio ao cliente, pela incapacidade de resolução e pela apatia dos reguladores.

“As férias representam um dos principais momentos de lazer, na vida das pessoas, exercendo enorme pressão junto de todos os prestadores de serviços de turismo, devido às expectativas de sucesso criadas no momento inicial da jornada dos consumidores. Por essa razão, todos os anos, são milhares as reclamações dirigidas aos vários intervenientes, desde os agentes de viagens, sites de reservas, companhias aéreas e as cadeias hoteleiras, pelos mais variados motivos. Contudo, a maioria tem a desinformação e falta de apoio ao cliente como principais motivos, o que revela a desorganização e incapacidade de resolução de problemas, colocando em causa a confiança e a reputação do setor”, defende.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img