Quinta-feira, Julho 18, 2024
Quinta-feira, Julho 18, 2024

SIGA-NOS:

TIME4TRAVEL leva grupo a Marraquexe e ao deserto, depois do sismo, e confirma normalidade do destino

-PUB-spot_img

Na página de Facebook de César Clemente há elogios ao post que publicou quando regressou de Marrocos há apenas seis dias. O diretor de incentivos e grupos da TIME4TRAVEL não foi sozinho, levou um grupo de 23 pessoas para a realização de um programa de quatro dias e três noites em Marraquexe e no deserto.

Até aqui tudo normal na vida de um agente de viagens, a não ser o acontecimento fatídico que abalou uma parte do destino, três dias antes da partida, a 8 de setembro: um sismo de magnitude 6,4.

A partida para Marraquexe estava marcada para 11 de setembro. Determinados a perceber se havia condições para manter a viagem, a equipa da TIME4TRAVEL começou à procura de mais informação.  “Percebemos que a zona do deserto e as montanhas que o grupo ia atravessar não tinha nada a ver com as montanhas afetadas pelo terramoto”, conta, por sua vez, João Carlos Correia. Em seguida, procuraram perceber em que estado estava Marraquexe, já que, duas das noites do programa, seriam passadas na cidade. O contacto com o operador local trouxe as respostas que a TIME4TRAVEL precisava. “O operador local foi essencial e foi preciso ter confiança”, afirma o responsável da agência.

Foram horas intensas à procura de informação, além do que avançavam os meios tradicionais, como o vídeo de uma turista que João Carlos Correia recorda ter visto: “Vi um vídeo de uma turista sábado à noite, em plena Medina de Marraquexe, em que dava para perceber que estava tudo normal. Obviamente que houve problemas, mas foram problemas mínimos e não são zonas turísticas”.

Com a decisão de manter o programa tomada, foi preciso passar uma mensagem de segurança aos clientes. “Nisso o César foi a peça fundamental”, aponta João Carlos Correia. O facto de um elemento da agência acompanhar a viagem deu um sinal de confiança aos elementos do grupo que, na sua maioria, já tinham efetuado viagens com a TIME4TRAVEL.

João Carlos Correia recorda também que o Governo português não desaconselhou as viagens para Marrocos até à data de partida do grupo. A declaração oficial só chegou quando já estavam em viagem e, mesmo assim, “nunca pôs em causa o destino Marraquexe”, sublinha.

“Um mundo melhor, um turismo melhor”

Dos 28 elementos do grupo que estavam inicialmente confirmados para a viagem, apenas cinco acabaram por desistir, não por questões de segurança, mas por questões de “sensibilidade”. A mesma sensibilidade que levou uma passageira, que embarcou na viagem, a questionar César se estavam a ser bons seres humanos ao viajar para Marrocos? No regresso, a mesma cliente tirou a sua própria conclusão, “César, fomos muito mais humanos em termos ido do que em ter cancelado”, conta o diretor de incentivos e grupos da agência.

Para João Carlos Correia, este episódio ilustra bem o real motivo pelo qual o cancelamento da viagem foi a última hipótese. “Não tinha a ver com seguros, não tinha a ver com reembolsos, nem nada disso. Há um princípio na TIME4TRAVEL: um mundo melhor, um turismo melhor. Marrocos nunca teria mais necessidade de turismo do que neste exato momento, qualquer bugiganga que os nossos clientes comprassem, era uma maneira de ajudar, era uma prova de entrega deles”, refere.

César Clemente conta que o programa não foi alterado: “Não alterámos o programa, não pudemos entrar na Koutoubia, mas estivemos ao lado”.Estava tudo a funcionar, o [restaurante] Chez Ali não tinha espetáculo, servia apenas jantar, por respeito à morte de um familiar de uma equipa”, conta.

César lamenta que as notícias sobre o sismo não tenham correspondido à verdade. “As televisões portuguesas não disseram a verdade”. Quando aterrou em Marraquexe, ainda foi tomado por um sentimento de incerteza mas que rapidamente se dissipou: “Quando aterrei, pensei: espero que isto esteja mesmo como me disseram. E estava. Não havia uma pessoa deitada no chão, nenhuma fila no aeroporto, nem aquilo que as televisões relataram de toda a gente em pânico e a sair”, recorda.

Entretanto, o Gabinete Nacional de Turismo de Marrocos (ONMT) sublinhou recentemente que a indústria do turismo de Marrocos continua a prosperar e a receber visitantes, não se deixando abalar pelo terramoto que atingiu a região de Al Haouz.

O grupo que viajou com a TIME4Travel para Marraquexe e o deserto entre 11 e 14 de setembro de 2023
-PUB-spot_img

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img