Quinta-feira, Maio 23, 2024
Quinta-feira, Maio 23, 2024

SIGA-NOS:

Turistas da UE vão ter que pedir “permissão de viagem” para visitar o Reino Unido

O governo britânico planeia implementar “um esquema de Autorização Electrónica de Viagem”, que obriga os visitantes a solicitarem permissão para visitarem o país, incluindo os visitantes europeus. O novo sistema pretende estabelecer uma passagem entre fronteiras “sem contacto” a partir de 2024, o que significa que alguns passageiros poderão entrar no país isentos de utilizar um portão de passaporte eletrónico ou falar com a autoridade de fronteiras.

Com este novo esquema, que pretende reduzir o tempo de espera, os visitantes terão de carregar uma fotografia deles próprios e enviá-la para o Home Office antes da sua viagem.

Os viajantes serão sujeitos a uma pré-vigilância, como diz o Governo, permitindo-lhes serem identificados na fronteira utilizando a tecnologia mais recente.

“Como Ministro do Interior, tenho estado concentrado em retomar o controlo do nosso sistema de imigração através do meu Novo Plano para a Imigração. Isto inclui garantir que temos uma fronteira adequada para o século XXI, que permite aos viajantes obter um visto e passar facilmente pela fronteira, mantendo a segurança nacional”, disse Priti Patel.

A nova tecnologia com reconhecimento facial pode tornar possível aos visitantes viajar para o Reino Unido sem terem de se submeter a controlos físicos no portão. As novas regras vão exigir também que os viajantes internacionais forneçam detalhes biográficos e biométricos, como fotografias dos seus rostos, através do novo esquema de Autorização Electrónica de Viagem (ETA), antes de viajarem.

Além disso, a partir de 2023, o Home Office começará a introduzir um esquema de “Autorização de Viagem”, sendo exigido a todos os que queiram viajar que apresentem tal autorização. Os titulares de passaporte britânico e irlandês estão isentos de tais requisitos, mas todos os outros terão de requerer um visto ou uma “Autorização Electrónica de Viagem”.

Todos os visitantes, incluindo europeus, terão de requerer uma ETA que poderá custar cerca de 21 euros. Os visitantes terão também de apresentar dados biográficos, biométricos e de contacto, bem como responder a algumas perguntas, tal como se lê no documento relativo ao novo esquema.

Embora esta permissão não seja um visto, terá autoridade para tornar um indivíduo elegível para embarcar num voo para viajar para o Reino Unido. A ETA será semelhante ao Sistema Electrónico Americano de Autorização de Viagem (ESTA), que foi introduzido após os ataques de 11 de Setembro nos Estados Unidos.

O esquema estará em fase experimental a partir de março de 2023 com visitantes do Kuwait, Qatar, EAU, Arábia Saudita, Omã e Bahrein, antes de ser potencialmente introduzido a todos os visitantes do mundo inteiro até ao final de 2023.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img