Sexta-feira, Agosto 12, 2022
Sexta-feira, Agosto 12, 2022

SIGA-NOS:

Associações de companhias aéreas pedem “abordagem consistente” em toda a Europa

Várias associações de companhias aéreas em toda a Europa, incluindo a portuguesa RENA (Associação das Companhias Aéreas de Portugal), defendem “uma abordagem rápida e consistente relativamente ao reinício das viagens e do tráfego aéreo dentro da UE e com países terceiros”.

As associações de 13 países criticam a atual situação “descoordenada” e salientam que, de um ponto de vista técnico, os pré-requisitos para a harmonização necessária já estão estabelecidos. Meramente, as decisões políticas coordenadas de “o quê e como” estão a progredir muito lentamente.

Para Paulo Geisler, presidente da RENA, a Associação das Companhias Aéreas de Portugal, defende que “as pessoas têm direito à mobilidade e à liberdade de viajar. Tendo em conta a evolução positiva das campanhas de vacinação e a diminuição duradoura das taxas de infeção, os direitos e as liberdades básicos devem agora ser devolvidos aos cidadãos com base na decisão do Conselho de Ministros da UE de 27 de Maio de 2021. No entanto, a abordagem aparentemente descoordenada e em constante mudança dos Estados da UE no que diz respeito à regulamentação das viagens está mais uma vez a conduzir a uma grande insatisfação e incerteza entre os cidadãos europeus. Apelamos aos políticos para que implementem agora regulamentos harmonizados e praticáveis. As simples palavras são insuficientes. Devem ser tomadas medidas uniformes; a tecnologia está pronta”.

Paulo Geisler acrescentou ainda que “os meus colegas das associações europeias e nós da RENA apelamos ao governo português, ao Conselho Europeu e à Comissão Europeia a que se implementem procedimentos e regulamentos harmonizados o mais rapidamente possível. Isto permitirá às pessoas planearem as suas viagens há muito esperadas para verem as suas famílias e amigos ou para irem de férias. Os viajantes de negócios poderão retomar as reuniões internacionais”.

Os representantes das associações europeias defendem regras harmonizadas de entrada e saída dos países, o reconhecimento dos certificados de vacinação, recuperação e testes declaração uniforme de áreas de risco, áreas de alta incidência ou áreas de preocupação variável e regras coordenadas para viagens entre a UE e países terceiros potencialmente abertos, tais como os EUA, China, e outros.

As associações que defendem estas exigências incluem as associações da Áustria, Bélgica,
Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Itália, Holanda, Noruega, Polónia, Portugal
e Espanha.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img