Sábado, Novembro 26, 2022
Sábado, Novembro 26, 2022

SIGA-NOS:

Aumento de preços da Ryanair reduzirá a acessibilidade das viagens internacionais, defende a GlobalData

Na sequência da notícia de que Michael O’Leary, o chefe executivo da Ryanair, decidiu aumentar os preços para fazer face ao rápido aumento dos custos de combustível, Benedict Bradley e Keir Maclean expressaram a sua opinião. De acordo com os analistas da GlobalData, as viagens internacionais vão tornar-se menos acessíveis para grande parte da população, devido à subida dos preços dos bilhetes das companhias ‘lowcost’, aliado ao aumento dos custos de vida.

Benedict Bradley, analista temático da GlobalData, expressou a sua opinião sobre a subida do preço dos bilhetes de avião. “Companhias aéreas ‘low cost’ como a Ryanair têm permitido que cada vez mais pessoas viajem para o estrangeiro. No entanto, o aumento dos preços dos bilhetes apenas irá agravar a atual crise do aumento dos custos de vida, e aqueles que já se debatem com dificuldades poderão ser excluídos do mercado das viagens”.

“Embora o aumento de preços seja relativamente insignificante para alguns, outros terão de reconsiderar os seus planos de férias nos próximos anos. As férias no estrangeiro podem tornar-se impraticáveis à medida que as pessoas contam moedas para pagar as faturas de energia que dispararam”, defendeu o analista.

De acordo com as previsões da GlobalData, os números de viagens internacionais do Reino Unido ultrapassarão os níveis pré-covid até 2024, mas o aumento dos preços dos bilhetes põe esta subida em risco, segundo Bradley. No inquérito ao consumidor Q2 2022 da GlobalData, 66% dos inquiridos do Reino Unido disseram estar extremamente ou ligeiramente preocupados com o impacto da inflação no seu orçamento doméstico. “As viagens podem ser a primeira coisa a ser descartada para atenuar estes aumentos do custo de vida”, salientou.

Keir Maclean, analista temático da GlobalData, também ofereceu a sua opinião. “O aumento das tarifas dos bilhetes está a ser impulsionado por um aumento dramático dos custos de combustível. Desde o início de 2022, o preço do combustível para aviões a jato subiu 90%”, explicou.

O analista sublinhou que “a Ryanair é a primeira companhia aérea ‘lowcost’ a declarar publicamente o fim dos voos de baixo custo. Contudo, a inflação do preço do combustível não é exclusiva da Ryanair e irá aumentar os custos gerais em todo o setor, tendo um impacto negativo não só na Ryanair mas também em concorrentes como a easyJet e a Wizz Air. Isto não é uma boa notícia para os turistas”.

“À medida que as ‘citybreaks’ se tornam menos acessíveis, as famílias vão optar por fazer menos viagens, mas mais longas, para reduzir as suas despesas globais em voos”, concluiu Maclean.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img