Terça-feira, Maio 21, 2024
Terça-feira, Maio 21, 2024

SIGA-NOS:

“Elle” entra no setor hoteleiro e abre primeiro hotel em Paris este ano

O grupo Lagardère, proprietário das marcas Elle e Elle Déco, anunciou o lançamento da Elle Hospitality, tornando-se assim a primeira marca de um grupo de comunicação social a desenvolver-se no setor hoteleiro. Dois conceitos foram revelados: hotéis urbanos, com a “Maison Elle”, bem como resorts “Elle Hotels” mais focados na fuga e descoberta.

A Elle Hospitality optou por contar com três parceiros, concedendo a cada um deles uma exclusividade por área geográfica: Actur no México, Whitney Robinson International no Médio Oriente, e finalmente Studio V Hospitality, uma nova filial da empresa francesa Valotel dedicada ao design de marcas e experiência de hospitalidade, para a Europa, China e Sudeste Asiático.

Maison Elle

A primeira “Maison Elle” será em Paris e deverá abrir já este outono. Situado no 17º bairro da capital, o hotel de 4 estrelas terá 25 quartos e uma suite. “Teremos salas temáticas em torno de uma peça de vestuário, um tecido, Marinière, Trench ou Tweed”, revela Pascal Donat, o presidente da Valotel.

Seguindo a tendência no setor, esta primeira “Maison Elle” também promete ser um lugar de vida aberto ao mundo exterior. Serão organizados encontros e eventos e o hotel albergará também uma loja conceptual. “Não será apenas uma loja conceptual com o chapéu ou saco certo”, promete Pascal Donat. “Queremos tentar ir mais longe, fazendo muito trabalho em prol das mulheres para que seja também um compromisso de inclusão. Estamos em contacto com associações de mulheres que fabricam produtos que queremos envolver de uma forma original, única e inclusiva.”

Já o primeiro resort “Elle Hotels” deverá abrir no México, em 2023.

Cerca de quinze hotéis em fase de construção

O Studio V Hospitality planeia desenvolver cerca de quinze hotéis em França e na Europa durante os próximos dez anos, principalmente nas grandes cidades. Para o conseguir, o Studio V Hospitality irá favorecer os contratos de gestão. “Em alguns casos, para cidades secundárias, podemos aceitar franquias, mas será numa base caso a caso”, diz Pascal Donat.

No devido tempo, o Studio V Hospitality pretende também desenvolver o mercado chinês. “Neste momento ainda é demasiado complicado, a China está fechada por causa da pandemia e é demasiado difícil encontrar parceiros chineses. Mas estamos a contar com uma aceleração muito mais forte para este mercado, porque o apetite pela marca na Ásia é colossal.”

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img