Segunda-feira, Agosto 8, 2022
Segunda-feira, Agosto 8, 2022

SIGA-NOS:

Lisboa e Norte entre os destinos europeus que mais perderam reservas de AL entre 2019 e 2022

Em 2021, os hóspedes passaram cerca de 364 milhões de noites em alojamentos de aluguer de curta duração reservados via Airbnb, Booking, Expedia Group ou Tripadvisor na União Europeia, representando um aumento de cerca de 34% em relação a 2020, revelam dados da Eurostat. Contudo, este número é ainda 29% inferior aos 512 milhões de noites registados em 2019. Em Portugal, a região Norte e Lisboa foram as mais afetadas, com perdas superiores a 45%.

A segunda vaga da pandemia no final de 2020 teve um impacto grave nos números das reserva no início de 2021. Em janeiro de 2021 houve 59,7% menos noites em alojamentos turísticos do que em janeiro de 2019.

No verão de 2021, devido à redução das restrições de viagem, o número de noites passadas em alojamentos de curta duração recuperou significativamente e esteve muito próximo dos níveis pré-pandémicos. Em julho e agosto, os dois meses mais populares, 73,7 e 88,4 milhões de noites foram passadas em alojamentos turísticos, representando 85,9% e 91,2% dos valores recorde para esses mesmos meses em 2019.

As reservas permaneceram elevadas no outono e no inverno e estiveram perto dos níveis pré-pandémicos até ao final do ano. Isto significa que o crescimento de cerca de 90 milhões de noites de hóspedes entre 2020 e 2021 pode ser atribuído ao segundo semestre do ano.

As grandes cidades e os destinos mediterrânicos foram os que mais se debateram

Ao analisar a recuperação do turismo, torna-se claro que nem todas as regiões recuperaram de forma igual. A Eurostat sublinha que as regiões costeiras ao longo do Mar mediterrâneo, as regiões das capitais, bem como os destinos alpinos de Inverno, foram as mais afastadas dos seus níveis de 2019.

As regiões, com pelo menos 1 milhão de noites de hóspedes em 2019 que estiveram mais afastadas dos seus valores de 2019 foram Praga (-81,9%), Irlanda (-76,2%), Budapeste (-72,9%), Viena (-66,3%) e Lazio, em Itália (-64,8%). O Norte de Portugal e Lisboa também evidenciam perdas superiores a 45% neste período comparativo.

Além disso, a região costeira da Catalunha, em Espanha, a terceira região mais popular em 2019, com mais de 20 milhões de noites de hóspedes, permaneceu muito atrás do número de noites reservadas em 2019 (-48,5% a 10,7 milhões).

Por outro lado, várias regiões em países como França, Bélgica, Holanda, Suécia, Finlândia, Polónia e Roménia conseguiram ultrapassar o número de noites reservadas em 2019.

Olhando para os principais destinos de cidade, muitos ainda tinham menos de 50% das noites de 2019 em 2021, sendo Praga (18,1%), Budapeste (27,1%) e Roma (30,5%) as cidades que mais se debateram. As únicas cidades que conseguiram atrair mais visitantes em 2021 do que em 2019 foram as mais pequenas, como Orleães, em França, (+55,3%); Ostende, na Bélgica (+49,6%); e Lugano, na Suíça (+49,1%).

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img