Quarta-feira, Novembro 30, 2022
Quarta-feira, Novembro 30, 2022

SIGA-NOS:

Lisboa está no top 10 das rotas aéreas com maior capacidade da Europa “porque ainda não existe TGV”

Lisboa-Madrid ficou em sexto lugar no ranking das rotas com maior capacidade aérea da Europa, no mês de agosto. Pedro Castro, diretor da SkyExpert, empresa de consultoria especializada em transporte aéreo, aeroportos e turismo, analisou os dados da consultora OAG, e argumentou que a rota Lisboa-Madrid ficou bem colocada na classificação “apenas porque ainda não existe o TGV.

Pedro Castro, destaca dois pontos para análise destes números: “baseiam-se em aeroportos e não cidades, caso contrário Londres com seis aeroportos e Paris com três, certamente açambarcariam todos os lugares deste ranking” e salienta que “a unidade é a capacidade (número total de lugares disponíveis) e não o número de frequências ou de passageiros efetivamente transportados”.

Se olharmos para as estatísticas de há alguns anos, Paris-Londres, Bruxelas-Paris ou Amesterdão-Londres estariam no topo desta lista, afirma Pedro Castro. “A Europa evoluiu em termos de transportes alternativos e conseguiu atrair os passageiros aéreos para a ferrovia. É por isso que todas as rotas deste top 10 têm algo em comum: são geograficamente distantes ou intransponíveis por outro meio de transporte. Todas, exceto uma: Lisboa – Madrid”, sublinha o diretor da SkyExpert.

“É um claro sinal e uma consequência do nosso atraso e é um ponto importante da agenda climática”, reforça. “Existe um outro aspeto: enquanto que entre Dusseldorf e Palma, dois aeroportos não-hub, o tráfego é puramente local, no caso de Lisboa-Madrid é mais um campo de batalha entre TAP, Iberia e Air Europa que ‘roubam’ mutuamente passageiros em transferência através de preço”.

Pedro Castro refere que, para um português, é mais barato viajar de Lisboa para Cancun via Madrid, mas para um espanhol é mais económico fazê-lo via Lisboa. “Este tipo de guerra comercial não é sancionada e tem um elevado custo ambiental porque acrescenta emissões de forma desnecessária e, ainda por cima, mais barata. Vai totalmente contra o princípio do poluidor-pagador e não se resolve com um segundo aeroporto”, termina.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img