Quinta-feira, Setembro 29, 2022
Quinta-feira, Setembro 29, 2022

SIGA-NOS:

MSC Cruzeiros anuncia compromissos que pretendem melhorar impacto ambiental

Tendo assumido o compromisso em 2021 de atingir zero emissões de gases de efeito estufa até 2050, a MSC Cruzeiros afirma estar continuamente a explorar e investir em novas tecnologias, com o objetivo de descarbonizar, sendo que “algumas têm tido resultados muito promissores”, de acordo com a companhia. Tendo em vista alcançar esse compromisso é fundamental, segundo a MSC, “minimizar o impacto dos navios de cruzeiro nas comunidades portuárias e o seu ambiente enquanto estão atracados”.

A MSC Cruzeiros explica, em comunicado de imprensa, que a energia em terra desempenha um importante papel nesse sentido, porque permite que os navios desliguem os motores e se conectem à energia elétrica local para fazer funcionar os seus sistemas a bordo. Com a eletricidade a ser transportada para o navio através de um transformador especialmente concebido no cais, esse processo “evita emissões produzidas pelos geradores a diesel, melhorando a qualidade atmosférica local, para além de reduzir o ruído e os níveis de vibração”.

“O meio ambiente e as comunidades vizinhas beneficiam diretamente da tecnologia de energia em terra”, defende a companhia.

Após investimentos significativos nas suas capacidades de frota, a MSC Cruzeiros anunciou esta quinta-feira, dia 21 de abril, passos e compromissos concretos para adotar e acelerar o uso de energia elétrica em terra.

Energia elétrica em terra pronta para o verão em Southampton e Warnemünde

A partir do final de maio até à temporada de verão de 2022, dois navios da frota da MSC Cruzeiros estão a utilizar a energia elétrica em terra pela primeira vez: MSC Virtuosa no Reino Unido, no novo Terminal de Cruzeiros Horizon do Porto de Southampton, e o MSC Poesia em Rostock- Warnemünde, Alemanha.

A companhia de cruzeiros explica que Southampton é o principal porto de cruzeiros de embarque da Europa, recebendo mais de 2 milhões de passageiros por ano. É também o primeiro porto do Reino Unido a fornecer energia em terra para navios de cruzeiro. Enquanto que Rostock-Warnemünde, segundo a MSC, é o maior fornecedor de energia elétrica em terra para navios de cruzeiro na Europa.

Em ambos os casos, a estreita colaboração com as autoridades locais com base no interesse comum, tornou possível o fornecimento e uso de energia elétrica em terra, refere a empresa.

Um acordo ambicioso com a Cruise Baltic

No dia 5 de abril de 2022, a Cruise Baltic e a MSC Cruzeiros assinaram um Memorando de Entendimento relativo aos seus esforços conjuntos para contribuir para o uso do fornecimento de energia elétrica em terra, na região do mar Báltico. O MoU, assinado em reconhecimento da importância de reduzir a poluição atmosférica causada pelo homem, destaca um desejo mútuo de contribuir para melhorar o impacto ambiental da indústria de cruzeiros.

A Cruise Baltic inclui 32 portos e destinos na região do mar Báltico. Ao assinar o acordo, a Cruise Baltic compromete-se a trabalhar para instalações de fornecimento de energia elétrica em terra na região, com o objetivo de aumentar o número de instalações no Mar Báltico. Para garantir este objetivo, a MSC Cruzeiros compromete-se a garantir que os navios de cruzeiro que fazem escalas regulares para os respetivos portos na região do mar Báltico utilizam o fornecimento de energia elétrica em terra, se disponível, o mais rapidamente possível e o mais tardar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Investimentos adicionais em capacidade de energia em terra

A companhia afirma que, até ao final de 2022, 11 dos 21 navios da MSC Cruzeiros – incluindo todos os novos navios construídos desde 2017 – estarão equipados com capacidade de energia elétrica em terra. Os navios existentes estão a ser ou serão adaptados no futuro.

Com as exigências regulamentares previstas e as preocupações da comunidade local sobre a qualidade do ar, vários portos ao redor do mundo estão a desenvolver infraestruturas para dar suporte à energia elétrica em terra para navios de cruzeiro. Contudo, de acordo com a CLIA, atualmente não há mais de 14 portos visitados pelos seus membros, que estejam equipados com capacidade de eletricidade em terra, enquanto apenas 7% dos cais de cruzeiro estarão equipados até 2025.

Além disso, onde quer que a MSC Cruzeiros esteja envolvida na construção e financiamento de novos terminais, a companhia garante, em comunicado, que os projetos levam em conta os requisitos da energia elétrica em terra como, por exemplo, valas para os cabos de energia que fazem parte da infraestrutura – alguns modelos atuais são os novos terminais da Cruise Division´s em Miami e Barcelona.

Outras tecnologias ambientais implementadas na frota da MSC Cruzeiros

Da frota, 14 dos navios da MSC Cruzeiros foram equipados com sistemas híbridos de limpeza de gases de escape, garantindo uma redução de 98% de óxido de enxofre. Até ao final de 2022, os 5 navios mais recentes terão sistemas de redução catalítica seletiva, que convertem óxidos de nitrogénio em nitrogénio inofensivo e água.

O MSC World Europa e o MSC Euribia, que estão atualmente em construção e projetados para serem entregues em 2022 e 2023, respetivamente, serão os primeiros navios movidos a LNG da MSC Cruzeiros. “O gás natural liquefeito (LNG) é de longe o combustível marítimo mais limpo atualmente disponível. Reduz drasticamente as emissões dos navios, melhorando significativamente a qualidade do ar, principalmente para comunidades em cidades portuárias e áreas costeiras”, defende a MSC.

O MSC World Europa também será o primeiro navio de cruzeiro, segundo a MSC, a utilizar a tecnologia de célula de combustível de óxido sólido (SOFC). “Este tipo de célula de combustível é concebido para gerar eletricidade de 20 a 30 por cento mais eficiente através de um processo eletroquímico sem combustão, ao utilizar LNG em comparação com a propulsão marítima tradicional baseada em combustão e motores auxiliares. Ao funcionar com LNG, a tecnologia SOFC reduz as emissões de carbono equivalente até 60% em comparação com as fontes de propulsão tradicionais, como o diesel elétrico biocombustível, e emite praticamente zero poluentes atmosféricos nocivos, como óxidos de enxofre, óxidos de nitrogénio e partículas em suspensão”, explica a companhia.

Além disso, a Cruise Division do MSC Group iniciou várias parcerias com estaleiros, fornecedores de energia, empresas de infraestrutura, programadores de tecnologia e instituições académicas. Estas permitirão, de acordo com a MSC, um estudo mais aprofundado sobre células de combustível, navios movidos a hidrogénio e outras tecnologias emergentes que oferecem o potencial de permitir navios com emissões zero.

A ambição da empresa é “estudar e testar cada vez mais essas potenciais soluções através de novas construções e adaptações de programas, para acelerar o seu desenvolvimento, ajudá-los a atingir a maturidade e implantá-las na nossa frota”, complementa a MSC.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img