Quarta-feira, Julho 17, 2024
Quarta-feira, Julho 17, 2024

SIGA-NOS:

Países Baixos exigem reforço da vacina para viagens a partir de fevereiro de 2022

-PUB-spot_img

O ministro da Saúde holandês, Hugo de Jonge, anunciou que, a partir de fevereiro de 2022, as autoridades do país só reconhecerão os certificados de vacinação COVID-19 que indiquem que o titular recebeu uma dose de reforço da vacina.

Consequentemente, isso significa que o país irá encurtar a validade dos certificados de vacinação de 12 para nove meses, e todos aqueles que não cumprirem este requisito serão obrigados a seguir regras de entrada adicionais, informa o site SchengenVisaInfo.com.

A decisão das autoridades holandesas de encurtar a validade dos passes de vacinação, que entrarão oficialmente em vigor no dia de fevereiro, segue a recomendação da Comissão Europeia de criar uma abordagem baseada no indivíduo e um padrão para a aceitação dos certificados de vacinação.

A Comissão sugeriu que os Estados-Membros não aceitem certificados de vacinação que não tenham sido emitidos no prazo de nove meses. No entanto, os Estados-Membros da UE têm de se coordenar nesta matéria e apresentar uma decisão conjunta.

Embora ainda não tenha havido nenhuma confirmação oficial por parte das autoridades da UE, Jonge divulgou que os representantes dos Estados-Membros concordaram que todos aqueles que desejam viajar para ou dentro da UE devem receber uma dose de reforço nove meses após a segunda toma da vacina para que o seu certificado de vacinação seja aceite.

Acredita-se que aqueles que não receberem a dose de reforço continuarão a poder viajar dentro da UE, desde que apresentem resultado negativo no teste COVID-19.

No entanto, “uma vez que fazer o teste várias vezes por semana não é conveniente, económico e seguro, as autoridades da UE estão a tentar forçar o maior número possível de pessoas a se vacinarem, bem como a receber uma dose de reforço que as protegeria ainda mais contra o vírus e sua nova variante Omicron”, lê-se na publicação do site.

À semelhança dos Países Baixos, as autoridades da República Checa também anunciaram no início desta semana que a validade dos certificados de vacinação COVID-19 seria reduzida para apenas nove meses. Assim, a partir de janeiro de 2022, apenas aqueles que receberam uma dose de reforço serão considerados totalmente vacinados quando chegarem à República Checa.

Em contraste com esses dois países, a Áustria já endureceu as suas regras sobre certificados de vacinação . Desde 6 de dezembro, a Áustria reconhece apenas os certificados de vacinação que mostram que o titular recebeu sua última dose de vacina nos últimos nove meses.

A decisão dos Estados-Membros da UE de reduzir a validade dos certificados de vacinação foi criticada pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), que sugeriu adiar esta proposta até que todos os governos possam fornecer doses de reforço aos seus cidadãos.

-PUB-spot_img

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img