Sexta-feira, Junho 14, 2024
Sexta-feira, Junho 14, 2024

SIGA-NOS:

Comissão Europeia revela planos para tornar passaportes de vacinação válidos por 9 meses

A Comissão da União Europeia apresentou uma proposta aos Estados-Membros para atualizar as regras de coordenação da segurança e de livre circulação no bloco, que recomenda que os certificados de vacinação COVID-19 sejam válidos apenas por nove meses após a toma da segunda vacina.

Num comunicado de imprensa, a Comissão revelou a sua proposta aos Estados-Membros de impor medidas com base numa abordagem “individual” e criar um período de aceitação normalizado para os certificados de vacinação de nove meses após .

“ O período de nove meses leva em consideração as orientações do Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC) sobre a administração de doses de reforço a partir de seis meses, e prevê um período adicional de três meses para garantir que as campanhas nacionais de vacinação possam ajustar e os cidadãos podem ter acesso a reforços ”, recomenda a Comissão.

A fim de assegurar uma abordagem coordenada, a Comissão orienta os Estados-Membros no sentido de não aceitarem certificados de vacinação que não tenham sido emitidos nos últimos nove meses, mas numa data posterior.

Insta também os Estados-Membros a tomarem as medidas necessárias para garantir que as pessoas cujos certificados de vacinação se aproximam do limite de nove meses tenham acesso à vacinação.

Até agora, vários países da UE já limitaram a validade dos certificados de vacinação a um período de nove meses, ou pelo menos têm considerado fazê-lo nas últimas semanas, depois da Europa ter voltado a ser o epicentro da pandemia do Coronavírus .

A Áustria está entre os países que tornaram os certificados de vacinação válidos por apenas nove meses. O país também impôs confinamento numa tentativa de lidar com o número crescente de casos.

No que diz respeito às terceiras doses, a proposta da Comissão indica que serão incluídas nos Certificados Digitais de Vacinas COVID-19. De acordo com a proposta, um certificado deve ser emitido após a administração de cada dose.

A maioria dos países da UE já administra vacinas de reforço a grande parte da sua população, em particular aos idosos e pessoas com problemas de saúde.

A Comissão, mais uma vez, insiste que as pessoas titulares de um Certificado Digital COVID da UE válido não devem estar sujeitas a restrições adicionais, como testes ou quarentena, independentemente do país de partida na UE.

Através da sua proposta mais recente, a Comissão também pretende atualizar o mapa de semáforos da UE, combinando novos casos com a adoção de vacinas por uma região.

Recomendação para reabrir fronteiras a viajantes vacinados com vacinas aprovadas pela OMS

Ao mesmo tempo que recomenda que os certificados de vacinação COVID-19 sejam válidos apenas por nove meses, a Comissão Europeia propôs esta quinta-feira, dia 25, que os Estados-Membros da União Europeia abram as suas fronteiras a viajantes de países terceiros que tenham sido totalmente vacinados contra a doença COVID-19 com uma das vacinas aprovadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Atualmente, a maioria dos Estados-Membros permite a entrada não essencial de viajantes que foram imunizados com uma das vacinas aprovadas pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA). No entanto, o caso não é o mesmo para aqueles que receberam uma vacina da OMS.

Portanto, a fim de assegurar regras mais simples e coerentes em toda a UE, a Comissão aconselhou que todos os Estados-Membros deveriam, a partir de 10 de janeiro de 2022, reabrir as suas fronteiras a todos aqueles que concluíram o processo de vacinação com uma injeção que foi aprovado pela OMS .

“Os Estados-Membros devem reabrir sistematicamente os vacinados com vacinas que tenham concluído o processo de lista de utilizações de emergência da OMS, além de reabrir os vacinados com vacinas aprovadas pela UE, como é o caso hoje”, afirma a declaração da Comissão Europeia.

As vacinas que fazem parte da Lista de Uso de Emergência da OMS, mas não foram aceitas pela EMA, são a Covishield Sinopharm, Sinovac e Covaxin.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img