Quinta-feira, Fevereiro 22, 2024
Quinta-feira, Fevereiro 22, 2024

SIGA-NOS:

Quando é que os navios de cruzeiro voltarão a navegar no Mar Vermelho?

A situação de conflito no Mar Vermelho, desencadeada pela guerra na faixa de Gaza, está a intensificar-se, suscitando a incerteza sobre o possível retorno dos navios de cruzeiro à região em 2024. Companhias como a MSC Cruzeiros e a CroisiEurope, que operam na zona, expressaram o desejo de retomar as operações, embora reconheçam os desafios atuais.

A MSC Cruzeiros revelou, ao Hosteltur, que a operação para 2024 estava inicialmente prevista para novembro, mas a crescente complexidade do conflito torna difícil “confirmar qualquer itinerário nesta fase”. A empresa recentemente cancelou três cruzeiros de reposicionamento “Grand Voyage” agendados para abril, atribuindo diretamente a decisão ao “risco que a navegação no Mar Vermelho pode representar”, considerando a presença de drones, mísseis e grupos de assalto na área.

“A segurança dos passageiros e da tripulação é a prioridade número um da empresa e, na ausência de um itinerário alternativo viável, a MSC Cruzeiros teve de cancelar os itinerários”, frisa a companhia de cruzeiros.

Os navios envolvidos seguirão diretamente para a Europa, sem passageiros a bordo, evitando o Mar Vermelho e navegando ao longo da costa ocidental de África, sem escalas, em direção aos portos europeus de origem para a temporada de verão de 2024. A MSC indicou que nenhum dos outros navios da sua frota será afetado.

Ataques dos rebeldes Houthi

A empresa está a contactar todos os passageiros – diretamente ou através do seu agente de viagens – para “transferir gratuitamente a sua reserva para uma futura Grand Voyage de duração semelhante”, disse a empresa, que também está a oferecer outras opções de troca e reembolso.

Segundo a MSC, os contínuos ataques a navios na região do Mar Vermelho, desde outubro, obrigaram a companhia a cancelar o cruzeiro de 24 noites do MSC Splendida, de Durban (África do Sul) para Génova (Itália), bem como o itinerário de 21 noites do MSC Opera, do Dubai (EAU) para Génova, e o itinerário de 23 noites do MSC Virtuosa, do Dubai para Southampton (Reino Unido).

No caso da CroisiEurope, a empresa afirma que não retomará as operações devido à necessidade de proteger os seus clientes. Embora não seja estabelecida uma data para uma possível recuperação da rota, a companhia sugere que, se as condições melhorarem, poderá considerar o retorno na próxima temporada, em novembro deste ano. “Somos muito rápidos a retomar as operações, porque também é um navio com 100 cabines”, ou seja, não é muito grande, afirmou o diretor comercial da CroisiEurope, Tomás Fernández. “Para nós, é um bom destino e, se a situação for resolvida, regressaremos”, confirmou.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img