Quarta-feira, Julho 17, 2024
Quarta-feira, Julho 17, 2024

SIGA-NOS:

Regresso dos viajantes chineses ao Ocidente: especialistas vêem oportunidades mas também desafios

-PUB-spot_img

Em 2024, prevê-se que as viagens chinesas para o estrangeiro dupliquem. A avaliar pela vaga de visitantes chineses durante o feriado do Ano Novo Lunar, que ocorreu em fevereiro, é bem provável que essa previsão se concretize. A Oxford Economics prevê um regresso a cerca de 80% dos níveis anteriores à pandemia, anunciando um renascimento vibrante do turismo China-Europa.

No entanto, relatórios recentes sugerem que o viajante chinês tem agora um perfil muito diferente do viajante pré-pandémico. Em vez disso, procuram experiências diferentes e têm um novo conjunto de expetativas. O que é que a indústria do turismo pode fazer para captar a atenção deste novo grupo dinâmico de viajantes? Alguns dos principais especialistas de empresas de tecnologia de viagens que conhecem bem o mercado apontam tanto as oportunidades como os desafios.

Gareth Matthews, do fornecedor global de distribuição de viagens Didatravel – que tem sede na China e é o maior vendedor grossista de viagens no país – confirma que “inicialmente, a recuperação centrou-se nos destinos da Ásia-Pacífico, mas temos assistido a um recente aumento das reservas da China para várias partes da Europa, América do Norte e até da América Latina”. Matthews explica ainda que “os hoteleiros e outros fornecedores de serviços de viagens precisam de uma estratégia de distribuição forte, que não se limite a ter um site em chinês. Os viajantes chineses dependem fortemente de canais de reserva e de sites de inspiração que não existem nos mercados ocidentais tradicionais. Só através de especialistas locais baseados na China é que se pode realmente obter o máximo de visibilidade e reservas”.

Assim que a estratégia de distribuição e a tecnologia correctas estiverem implementadas, o próximo passo é investir na compreensão deste novo grupo de viajantes, de acordo com Evren Oktay, fundador e COO da pax2night – um banco de alojamento especializado no destino Turquia que faz parte da Yuppi Travel. “Para atrair o seu negócio, os hoteleiros precisam de compreender as diferenças culturais dos viajantes chineses, uma vez que estes têm necessidades e desejos bastante únicos. Por exemplo, é muito importante para eles, quando reservam um hotel, saber como é o quarto que vão ter e qual a sua dimensão exacta, até ao último metro quadrado. Da mesma forma, gostam de ter uma chaleira no quarto para fazer o seu próprio chá”.

Juana Muro, da TourReview, que fornece uma plataforma para que os tours e as experiências possam gerir as suas avaliações online, considera que as avaliações positivas são essenciais para quem pretende chegar ao viajante chinês. “Assistimos a um enorme afluxo de comentários dos viajantes chineses por altura do Ano Novo Lunar, o que pode realmente ajudar as marcas europeias ou norte-americanas a estabelecerem uma ligação com este mercado – mas apenas se estivermos a falar de plataformas de comentários em língua chinesa, como a Trip.com, uma vez que raramente utilizariam algo como o TripAdvisor. As marcas de viagens europeias devem reconhecer o poder que o viajante chinês detém; uma boa crítica de uma pessoa pode realmente ajudar a criar confiança na sua marca no seu país de origem e pode desbloquear grandes receitas adicionais. Quando estiver confiante de que a experiência que oferece compreende as necessidades únicas deste grupo de viajantes, considere a possibilidade de incentivar os viajantes a escreverem comentários em todos os principais sites chineses.”

Não se trata apenas de comentários de viajantes, os bloggers e influenciadores locais chineses “podem acrescentar outro nível de confiança e ajudar a dar vida às marcas de viagens de uma forma que o seu público compreenda”. “Sabe-se que os turistas chineses são altamente influenciados por recomendações de viagens e bloggers, particularmente aqueles com uma forte presença online na China”, disse Andrew Lockhead, CEO da Stay22, a empresa de tecnologia de viagens que oferece oportunidades de geração de receitas de afiliados para bloggers de viagens e meios de comunicação social. “Os bloggers que compreendem e se identificam com o mercado chinês podem ser embaixadores de marca incrivelmente eficazes. Ao estabelecer parcerias com estes criadores para colocar links de marketing de afiliados no seu conteúdo, as empresas de viagens podem colocar-se diretamente à frente do seu público-alvo.”

Por fim, Koert Grasveld, da empresa de pagamentos de viagens Terrapay, salienta que efetuar e receber pagamentos B2B de empresas chinesas pode ser muito complexo e dispendioso. “É necessário ter os processos de pagamentos tecnológicos B2B implementados para garantir que os pagamentos são baratos, rápidos e contínuos, além de serem capazes de lidar com coisas como reembolsos ou cancelamentos sem problemas – vemos demasiadas empresas a esperar demasiado tempo para serem pagas pelos parceiros chineses, não por falta de boa vontade, mas simplesmente devido à utilização de canais de pagamento antiquados e inadequados”.

-PUB-spot_img

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img