Quinta-feira, Julho 18, 2024
Quinta-feira, Julho 18, 2024

SIGA-NOS:

Transporte de passageiros abranda crescimento no segundo trimestre

-PUB-spot_img

O transporte de passageiros continuou a crescer no segundo trimestre, mas menos acentuadamente, aumentando 14,9% em termos homólogos por via aérea, 12,8% por comboio, 18,0% por metropolitano e 19,4% por via fluvial, divulgou esta quinta-feira o INE.

Segundo as estatísticas da “Atividade dos Transportes” do Instituto Nacional de Estatística (INE), de abril a junho os aeroportos nacionais movimentaram 18,4 milhões de passageiros, correspondendo a um crescimento de 14,9% face ao mesmo período de 2022 (+54,3% no primeiro trimestre de 2023; +10,0% face ao segundo trimestre de 2019, pré-pandemia).

No mesmo trimestre, viajaram por comboio 49,0 milhões de passageiros (+12,8%; +18,0% no primeiro trimestre de 2023) e por metropolitano 64,9 milhões (+18,0%; +39,7% no primeiro trimestre de 2023). Comparando com o segundo trimestre de 2019, registaram-se variações de +13,9% e -5,3%, respetivamente.

Já o transporte de passageiros por via fluvial aumentou 19,4% de abril a junho, em termos homólogos (+32,4% no primeiro trimestre de 2023), atingindo 5,8 milhões de passageiros e superando, pela primeira vez, os níveis pré-pandemia, ao aumentar 5,6% face ao segundo trimestre de 2019.

No período em análise, aterraram nos aeroportos nacionais 64,9 mil aeronaves em voos comerciais (+9,2% face ao trimestre homólogo de 2022; +28,2% no primeiro trimestre de 2023) e registou-se o movimento de 18,4 milhões de passageiros (embarques, desembarques e trânsitos diretos), representando um crescimento de 14,9% (+54,3% no primeiro trimestre de 2023).

O movimento aéreo de carga e correio ascendeu a 55,3 mil toneladas (-1,5%; -0,2% no primeiro trimestre de 2023).

Comparando com o segundo trimestre de 2019, registaram-se crescimentos de 4,6% nas aeronaves aterradas, 10,0% nos passageiros movimentados e 7,3% no movimento de carga e correio.

O aeroporto de Lisboa concentrou 47,6% do movimento total de passageiros (8,8 milhões), registando um aumento de 15,0% (+4,8% face ao segundo trimestre de 2019), tendo o aeroporto do Porto registado o segundo maior volume de passageiros movimentados do país (22,6%; +16,2% face ao segundo trimestre de 2022), atingindo 4,2 milhões e superando em 17,0% o valor atingido no segundo trimestre de 2019.

No aeroporto de Faro, registou-se o movimento de 3,1 milhões de passageiros (16,7% do total; +13,6% face ao segundo trimestre de 2022), correspondendo a um acréscimo de 3,7% comparando com o período homólogo de 2019.

Por comboio, de abril a junho viajaram 49,0 milhões de passageiros, mais 12,8% que no segundo trimestre de 2022. Desses passageiros, 45,2 milhões circularam em transporte suburbano (+15,2% que no segundo trimestre de 2022), 3,8 milhões em tráfego interurbano (-9,3%) e 29,2 mil em transporte internacional (-12,8%).

Comparando com o período homólogo de 2019, o INE dá conta de um aumento de 13,9% no transporte de passageiros por comboio, “devido exclusivamente ao crescimento observado no tráfego suburbano (+16,7%), já que os tráfegos interurbano e internacional apresentaram decréscimos de 10,5% e 56,9%, respetivamente.

No que se refere ao metropolitano, transportou 64,9 milhões de passageiros no segundo trimestre, 18,0% acima do segundo trimestre de 2022 (+39,7% no trimestre anterior) e um decréscimo de 5,3% face ao trimestre homólogo de 2019.

O Metro de Lisboa transportou 40,0 milhões de utentes no primeiro trimestre, +17,9% em termos homólogos e -13,7% face ao segundo trimestre de 2019, enquanto o Metro do Porto movimentou 20,4 milhões de passageiros, +21,5% face a 2022 e +13,0% face ao período pré-pandémico.

Pelo Metro Sul do Tejo circularam 4,4 milhões de passageiros, com um aumento de procura de 5,3% (+10,0% em relação ao segundo trimestre de 2019).

O INE refere que, “para o conjunto dos metropolitanos, no segundo trimestre de 2023, a taxa de utilização fixou-se em 21,7% (+0,2 pontos percentuais que no trimestre anterior e +2,3 pontos percentuais que no trimestre homólogo de 2022), com o Metro do Porto a registar a taxa mais elevada (22,5%).

Relativamente ao transporte de mercadorias, no segundo trimestre registou-se um aumento por via marítima (+1,8%) e decréscimos por via ferroviária (-0,3%), aérea (-1,5%) e rodoviária (-12,1%).

Face ao segundo trimestre de 2019, os transportes de mercadorias por via aérea, marítima e ferroviária aumentaram (+7,3%, +4,0% e +3,9%, pela mesma ordem), tendo o transporte por rodovia diminuído (-16,5%).

-PUB-spot_img

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img