Segunda-feira, Fevereiro 6, 2023
Segunda-feira, Fevereiro 6, 2023

SIGA-NOS:

APAVT exige obras na Portela: “Não evitarão a vergonha, mas mitigarão as consequências deste processo ridículo”

O presidente da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), Pedro Costa Ferreira, disse não acreditar numa decisão sobre o novo aeroporto de Lisboa em 2023 e, como tal, exige que se façam obras no aeroporto da Portela, “permitindo melhorar a operacionalidade e eficiência desta infraestrutura”.

O responsável falava durante o discurso de abertura do 47º congresso nacional da (APAVT), que decorre em São Miguel.

“Há mais de dez anos que acompanhamos esse processo, temos boas e fundadas razões para não acreditamos numa decisão em 2023. E sem decisão, evidentemente, não podemos acreditar numa solução que seja implementada nos próximos anos”, afirmou.

“Não acreditando, resta-nos exigir que façam o que neste momento parece ainda possível fazer, que são as obras no aeroporto da Portela, permitindo melhorar a operacionalidade e eficiência desta infraestrutura”, defendeu Pedro Costa Ferreira.

“Senhores políticos, simplesmente deixem que as obras avancem. Não evitarão a vergonha, que se colou a todos os que contribuíram para a atual situação, mas pelo menos mitigarão as consequências deste processo tão trágico como ridículo”, afirmou.

Como é apanágio dos discursos de abertura do congresso, Pedro Costa Ferreira enumerou os desafios que as agências enfrentam centrando-se em três.

O primeiro tem a ver com o pagamento do Apoair.pt em atraso, uma promessa que Pedro Costa Ferreira não esquece e que acabou por encontrar resposta no discurso do novo secretário de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Nuno Fazenda, minutos depois.

Em segundo lugar, o presidente da APAVT defendeu “a prorrogação do pagamento do serviço da dívida contraída ao longo da pandemia para quem o necessite”.

“Não será demais lembrarmos, não apenas que as dívidas foram contraídas porque os apoios foram insuficientes, mas sobretudo que bastará alargarem aos restantes processos de empréstimos, o excelente exemplo que tem dado o Turismo de Portugal”, defendeu.

Como terceiro desafio, o presidente da APAVT apontou a Nova Diretiva das Viagens Organizadas, “para que não saia ainda mais desequilibrada ao longo da cadeia de valor e ainda mais injusta para as agências de viagens. É mesmo preciso, senhor secretário de Estado, que as palavras bonitas sobre justiça e solidariedade não correspondam a sucessivas concessões aos lobbies dos mais poderosos”, disse o responsável dirigindo-se a Nuno Fazenda .

O congresso da APAVT decorre em Ponta Delgada até ao próximo sábado, dia 10 de dezembro.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img