Segunda-feira, Maio 20, 2024
Segunda-feira, Maio 20, 2024

SIGA-NOS:

Choice Hotels apontada como a primeira grande cadeia hoteleira a recuperar níveis pré-pandemia

A rede americana Choice Hotels foi a primeira das grandes cadeias hoteleiras a recuperar os níveis pré-pandemia. Não só registou três terços da receita durante a crise, como a sua receita por quarto nos últimos dois meses já está acima dos níveis de 2019.

De acordo com o site SKift, a empresa que têm no seu portefólio marcas mais voltadas para o lazer, como Comfort, Econo Lodge e Ascend Hotel Collection, divulgou na passada quinta-feira-feira, dia 5 de agosto, que sua receita por quarto disponível ultrapassou os níveis de 2019 nos últimos dois meses .

A Choice Hotels registou um lucro de 86 milhões de dólares (73 milhões de euros) durante o segundo trimestre de 2021. Também teve a maior receita de sua história nos feriados do Memorial Day e Dia da Independência, nos EUA. Não foi a única a registar resultados positivos. Também a Marriott, Accor ou Hilton obtiveram lucros no segundo trimestre. “Mas os principais concorrentes globais da Choice têm mais exposição a regiões ainda fortemente impactadas pelo vírus, bem como a setores como viagens corporativas e convenções”, refere o artigo do Skift

O CEO da Choice Hotels, Patrick Pacious, afirmou que as reservas de viagens em grupo da Choice voltaram a 90 por cento dos níveis de 2019, mas também indicou que grande parte da força financeira da empresa deriva do facto dos seus hotéis dependerem mais de viagens de lazer e de carro.

A baixa dependência da empresa de viagens corporativas e em grupo tem sido uma vantagem em termos de recuperação. Na verdade, as 12 marcas da rede estão focadas principalmente em “viajantes de passagem e no setor de férias”.

A empresa conta com mais de 7.100 hotéis franqueados com um total de mais de 600.000 quartos, a maioria nos mercados dos Estados Unidos e Canadá, circunstância que também a beneficiou. Ambos os países estão entre os 15 maiores emissores de turistas no mundo (3º e 12º) e, devido às restrições a viagens internacionais durante a pandemia, a Choice Hotels teve uma base de público doméstico maior que, além disso, gera elevados gastos turísticos.

“Esses altos ganhos, mesmo com o setor em fase de recuperação, ilustram que nossos investimentos estratégicos estão a funcionar e dão-nos maior otimismo sobre nosso futuro caminho de receita”, afirmou Patrick Pacious.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img