Domingo, Maio 26, 2024
Domingo, Maio 26, 2024

SIGA-NOS:

Especialistas em tecnologia insistem que o ChatGPT e AI “não são uma ameaça para os agentes de viagens”

Os especialistas em tecnologia encorajaram as empresas de viagens a adotar tecnologia de inteligência artificial (IA), que está em rápida evolução, e estão confiantes de que o surgimento de serviços como o ChatGPT não sinaliza o fim dos agentes de viagens tradicionais.

O ChatGPT, um “chatbot alimentado por IA” capaz de fornecer respostas complexas semelhantes às humanas a perguntas feitas em “idioma nativo”, assistiu a um aumento astronómico de utilizadores, impulsionado pela Microsoft, integrando-o no seu motor de pesquisa Bing.

Alguns analistas acreditam que a ferramenta, que foi revelada pelo Google na semana passada, pode causar grandes perturbações em vários setores de atividade, incluindo nos setores de serviços, como as viagens.

No entanto, segundo um artigo do Travel Weekly, alguns especialistas em tecnologia de viagens compararam as preocupações de alguns analistas, com as que foram manifestadas quando surgiu a internet, época em que se afirmava que a tecnologia emergente negaria a necessidade de interação humana.

Jon Pickles, diretor de receitas da Inspiretec, afirmou: “O ChatGPT só sabe o que sabe. A sua capacidade de aprender rápido e assimilar grandes quantidades de informação é algo que não se deve temer. Talvez devêssemos considerá-lo uma oportunidade. Quaisquer tarefas mundanas que possam ser automatizadas são perfeitas para melhorar a vida profissional dos humanos, que estão muitas vezes relutantes em fazer essas tarefas”.

Mais tempo disponível

“O ChatGPT pode gerar conteúdo à escala muito rapidamente. As suas empresas de viagens podem agora poupar uma grande quantidade de tempo e recursos e concentrarem-se nas atividades que geram mais receitas, por exemplo em vendas de viagens de luxo, onde as conversões são feitas através do toque humano”, acrescentou Pickels.

Um teste realizado pela Travolution revelou que as respostas oferecidas pelo ChatGPT eram detalhadas, mas amplamente genéricas, com lembretes consistentes de que a inteligência artificial é incapaz de dar opiniões ou recomendações pessoais.

Toque pessoal

Markus Stumpe, o presidente-executivo da CruiseWatch, uma empresa alemã que desenvolve tecnologia de IA para empresas de viagens e que lançou recentemente a marca AIntensify, disse acreditar no toque humano. “O ChatGPT é extremamente bom em algumas coisas, mas tem limitações e, como toda nova tecnologia, pode ser utilizado para o bem ou para perturbar, assim como a internet quando surgiu”.

A IA pode substituir tarefas manuais menos complexas, como pesquisa de mercado, encontrar a última alteração de preço ou comparar dados. Pode ajudar os humanos a serem mais eficientes, mas as máquinas não têm carisma. Se os agentes forem inteligentes na forma como utilizam a IA, podem fornecer experiências mais personalizadas porque não precisam de fazer os processos manuais, muitas vezes não pagos, dos quais se queixam”, acrescentou Stumpe.

Cressida Sergeant, diretora comercial da Traveltek, disse: “O ChatGPT é a mais recente inovação no mundo das viagens. Adeus big data, personalização e hiperpersonalização. O ChatGPT vai acabar com os agentes de viagens? Não, no mundo das viagens haverá sempre lugar para pessoas e tecnologia”.

“O ChatGPT está na sua fase inicial, mas a adesão tem sido fenomenal. Com o tempo, esta nova abordagem de IA pode realmente ajudar os agentes quando lidam com o atendimento ao cliente e com as FAQ’s, já que é muito mais personalizada e humanizada do que um chatbot padrão. Será que algum dia substituirá anos de experiência em viagens e um serviço de alto nível? É altamente improvável”, acrescentou Sergeant.

“Vejo também que é extremamente útil para a tradução e automatização de línguas. Como aprende com o tempo, será extremamente útil para as equipas de marketing e de conteúdo, mas uma mistura entre automatização e toque pessoal continuará a ser vital”, notou.

Simon Goddard, diretor de informações do provedor de tecnologia de pesquisa e reserva de viagens Vibe, acredita que, embora o ChatGPT seja um passo significativo para a inteligência artificial, não irá causar um impacto significativo no setor.

“Peço a todos os que viajam que tentem planear um fim-de-semana ou férias em família utilizando o ChatGPT. É verdade que este chatbot é muito melhor do que todos os que surgiram até à data e as potenciais aplicações são enormes, mas por enquanto não acredito no hype. O que se vê nas notícias não será uma realidade no setor das viagens por um tempo – e até certo ponto o elemento humano nunca será 100% substituído”, defendeu Goddart.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img