Sábado, Julho 13, 2024
Sábado, Julho 13, 2024

SIGA-NOS:

Indústria global das viagens de negócios regista recuperação mas antevê desafios em 2024

-PUB-spot_img

A indústria global de viagens de negócios está a experimentar uma retoma significativa no início de 2024, deixando para trás os impactos da pandemia. A maioria dos compradores de viagens reporta um aumento nas reservas e gastos durante 2023, com a expectativa de que esse crescimento se mantenha em 2024. O foco nas viagens sustentáveis também é destacado como uma prioridade nas organizações. Apesar das perspetivas positivas, os profissionais do setor identificam desafios para 2024, como o aumento dos custos de viagem, incertezas económicas, atrasos nos orçamentos corporativos e perturbações nas viagens.

Os dados foram obtidos através do mais recente Inquérito sobre Perspetivas de Viagens de Negócios, conduzido pela Global Business Travel Association (GBTA). Mais de 700 profissionais de viagens de negócios de 41 países participaram neste inquérito, que oferece insights sobre o estado atual da indústria e as expectativas para 2024.

No que diz respeito ao volume de viagens e gastos, 83% dos compradores de viagens relataram um aumento nas reservas de viagens de negócios em 2023 em comparação com o ano anterior. Os gastos também aumentaram para 84% dos inquiridos. As expectativas para 2024 são otimistas, com 59% dos compradores a antecipar mais viagens e dois terços a prever um aumento nos gastos.

Mais de metade dos inquiridos (57%) considera que já não é relevante comparar o desempenho da indústria em 2024 com os níveis pré-pandémicos de 2019. No entanto, um terço (32%) considera que a comparação ainda é relevante para o próximo ano. Além disso, quando questionados sobre as principais questões da indústria esperadas para 2024, as preocupações com a pandemia ficaram no final da lista, citadas por apenas 1% dos inquiridos.

Considerações e preocupações futuras para a indústria

Para o ano de 2024, os desafios identificados pelos profissionais do setor incluem o aumento dos custos de viagem (66%), preocupações económicas gerais (46%), orçamentos corporativos em atraso (42%), perturbações nas viagens (32%) e preocupações geopolíticas (22%). A sustentabilidade e o impacto climático são destacados por 19% dos inquiridos, sendo esta preocupação mais acentuada entre os participantes europeus (41%).

Além disso, avanços tecnológicos, incluindo inteligência artificial, foram citados por 19% dos inquiridos como uma grande preocupação, mas os números diferiram entre fornecedores de viagens (27%) e compradores de viagens (13%).

Quanto às mudanças nos programas de viagens corporativas, 62% dos intervenientes afirmam que as empresas adotaram um modelo híbrido de trabalho. Cerca de metade dos inquiridos já reviu ou planeia rever as políticas/programas de viagens devido ao trabalho remoto/híbrido. As áreas mais afetadas incluem tipos de reuniões permitidas para viagens e frequência de viagens para o escritório.

No que diz respeito à alocação de viagens de negócios em 2024, os compradores citam reuniões de vendas/gestão de contas (36%), conferências externas e eventos da indústria (20%) e reuniões internas com colegas (20%) como as principais áreas. As viagens de serviço, formação e desenvolvimento de colaboradores, reuniões com fornecedores e outros tipos de viagens de negócios também são mencionados.

Em suma, a indústria de viagens de negócios está a recuperar, impulsionada pelo aumento nas reservas e gastos, embora os profissionais do setor estejam atentos aos desafios futuros, como os custos crescentes e a sustentabilidade. O modelo de trabalho híbrido também está a moldar os programas de viagens corporativas, indicando uma adaptação contínua às novas realidades.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img