Sexta-feira, Julho 1, 2022
Sexta-feira, Julho 1, 2022

SIGA-NOS:

Turismo em Portugal poderá ultrapassar níveis pré-pandemia em 2023, estima WTTC

O World Travel & Tourism Council ( WTTC ) revelou que o setor de Viagens & Turismo em Portugal vai impulsionar a recuperação económica nacional e poderá mesmo ultrapassar os níveis pré-pandémicos no próximo ano, quando se prevê um aumento de quase 4,8% acima de 2019 níveis.

A previsão do último Relatório de Impacto Económico (EIR) do WTTC mostra que a contribuição total do setor para o PIB pode chegar a quase € 39,5 mil milhões no próximo ano, representando 17,4% do total da economia.

O emprego no setor também pode ultrapassar os níveis de 2019, criando mais de 3.200 empregos adicionais, podendo atingir mais de um milhão até o final de 2023.

De acordo com os dados mais recentes do órgão global de Turismo, o PIB de Viagens e Turismo deverá crescer em Portugal em média 3,4% ao ano na próxima década, mais de três vezes a taxa de crescimento de 1,1% da economia geral do país, para atingir mais de € 50 mil milhões (20,2% da economia total) até 2032.

A previsão revela também que o setor de Viagens & Turismo em Portugal deverá criar cerca de 193.000 postos de trabalho nos próximos 10 anos, com uma média de mais de 19.000 novos postos de trabalho todos os anos, atingindo mais de 1,1 milhões de empregados no setor até 2032.

“Após o impacto devastador da covid-19, Portugal mostra uma forte recuperação, até ao final deste ano a contribuição total do setor para o PIB deverá crescer 54,7% para mais de 35,8 mil milhões de euros, representando 16,2% do PIB total”, refere o WTTC.

O emprego no setor deverá crescer 5,6%, atingindo quase mais de 953 mil empregos.

De acordo com a ForwardKeys, parceira de conhecimento do WTTC, “os dados mais recentes de reservas de voos mostram um verão promissor para o país do sul da Europa”, acrescenta.

Os dados de reservas de voos mostram que Portugal deverá ser o quarto destino europeu mais popular este verão, com um aumento homólogo de 179% das chegadas internacionais e apenas 9% abaixo dos níveis pré-pandemia.

Os dados mostram reservas de voos que superam os níveis pré-pandemia, com reservas dos EUA, Holanda, Dinamarca e Alemanha, com aumento de 41%, 36%, 29% e 11%, respetivamente.

Julia Simpson, presidente e CEO do WTTC, afirma: “O covid-19 causou estragos no setor das Viagens e Turismo de Portugal, afetando milhões de meios de subsistência e impactando a economia nacional. O futuro das Viagens & Turismo em Portugal é muito otimista. O crescimento ultrapassará o PIB nacional e criará quase 200.000 novos empregos ao longo da década. O governo português está a fazer um ótimo trabalho.”

Por sua vez, Rita Marques, secretária de Estado do Turismo de Portugal, refere: “O nosso objetivo é claro – queremos posicionar Portugal como um dos destinos turísticos mais competitivos, seguros e sustentáveis ​​do mundo. Perante desse objetivo, estamos felizes em fazer parceria com o WTTC para garantir que turistas e empresas conheçam, entendam e tenham interesse em assumir o compromisso de alcançar destinos turísticos sustentáveis. Por um planeta melhor, um turismo melhor.”

A contribuição total de Viagens e Turismo de Portugal para o PIB representou 17,1% (€ 37,6 mil milhões) em 2019, caindo para apenas 8,7% (€ 17,4 mil milhões) em 2020, reduzindo para metade a contribuição do setor para a economia total (53,6%).

O setor também apoiou mais de um milhão de empregos, antes que a pandemia interrompesse completamente as viagens internacionais, o que resultou em uma perda de 160.000 (15,6%), caindo para 850.000 em 2020.

O último relatório EIR do WTTC também revela que 2021 viu o início da recuperação do setor de Viagens e Turismo do país.

No ano passado, sua contribuição para o PIB aumentou 32,6%, atingindo € 23,1 mil milhões.

No entanto, a recuperação de empregos foi mais lenta, com apenas 50.000 empregos de Viagens e Turismo criados, para chegar a 900.000.

O órgão global de turismo diz que a contribuição do setor para a economia e o emprego poderia ter sido maior se não fosse o impacto da variante Omicron, “que levou à recuperação vacilante em todo o mundo, com muitos países a restabelecerem severas restrições de viagem”.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img