Quarta-feira, Abril 17, 2024
Quarta-feira, Abril 17, 2024

SIGA-NOS:

Interessados na privatização da Azores Airlines oferecem 7,026 e 6,60 euros por ação

Os interessados na privatização da Azores Airlines, o Atlantic Consortium e o consórcio Newtour/MS Aviation, melhoraram as propostas iniciais e ofereceram, respetivamente, 7,026 euros e 6,60 euros por ação da companhia área, foi revelado esta segunda-feira.

O anúncio foi realizado durante o ato público de abertura das propostas referentes ao concurso público internacional para a alienação de parte da participação social do Governo dos Açores na companhia aérea Azores Airlines, que decorreu na sede do Grupo SATA, em Ponta Delgada.

Na semana passada, foram apresentadas duas propostas, pelo Atlantic Consortium (formado pelas empresas Vesuvius Wings, White Airways, Old North Ventures, Consolidador e EuroAtlantic Airways) e pelo consórcio NewTour/MSAviation, que ofereceram 6,50 euros por cada ação da companhia responsável pelas ligações com o exterior dos Açores.

Face às semelhanças entre as duas ofertas, o ato público foi suspenso para permitir aos concorrentes a alteração dos valores, seguindo o que está previsto no caderno de encargos, segundo lembrou aos jornalistas o presidente do júri, Augusto Mateus.

“Havia a possibilidade – não a necessidade – de os concorrentes poderem subir o preço. Coisa que fizeram. Uma proposta mais do que a outra. Tinham o mesmo preço e agora passaram a ter preços diferentes. Ambos superiores aos 6,50 euros que tinham apresentado na primeira proposta”, afirmou o economista e professor universitário.

Apesar das diferenças no preço por ação, os interessados não alteraram as percentagens do capital social a que se propõem adquirir.

A proposta do consórcio NewTour/MSAviation pretende adquirir 76% da empresa, enquanto a oferta da Atlantic Consortium é sobre 74,85% do capital social da transportadora.

Augusto Mateus reforçou que o preço por ação é um dos critérios de seleção, mas recordou que a privatização está “sujeita a um conjunto de objetivos” e “não à melhor oferta financeira”.

Segundo o júri, a Newtour/MS Aviation pediu para que a fundamentação da proposta fosse classificada como confidencial, uma situação que “não estava prevista”.

“Quanto mais depressa tivermos uma solução, mais depressa divulgamos as propostas e nos podemos concentrar em todos os elementos que são necessários para produzir o relatório”, vincou.

Augusto Mateus disse esperar que a divulgação das propostas aconteça o “mais rapidamente possível”, lembrando que a apresentação do relatório do júri está prevista para o final de setembro ou início de outubro.

O Atlantic Consortium é formado pelas empresas Vesuvius Wings, White Airways, Old North Ventures, Consolidador e EuroAtlantic Airways, tendo sido representado por Luís Nunes (gestor responsável pelo portal de viagens Azores Getaways).

A NewTour é uma empresa com sede no arquipélago, ligada ao setor do turismo, liderada pelo empresário Tiago Raiano. Em junho, a Newtour (e a empresa Bestfly) anunciaram a aquisição da companhia austríaca MS Aviation.

Em junho de 2022, a Comissão Europeia aprovou uma ajuda estatal portuguesa para apoio à reestruturação da companhia aérea de 453,25 milhões de euros em empréstimos e garantias estatais, prevendo medidas como uma reorganização da estrutura e o desinvestimento de uma participação de controlo (51%).

O caderno de encargos da privatização da Azores Airlines prevê uma alienação no “mínimo” de 51% e no “máximo” de 85% do capital social da companhia.

DEIXE A SUA OPINIÃO

Por favor insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui

-PUB-spot_img
-PUB-spot_img